Bahia joga mal, fica no zero com o Cuiabá e segue na zona de rebaixamento | A TARDE
Atarde > Esportes > E.C.Bahia

Bahia joga mal, fica no zero com o Cuiabá e segue na zona de rebaixamento

Publicado domingo, 21 de novembro de 2021 às 21:03 h | Atualizado em 21/11/2021, 21:08 | Autor: Daniel Dórea e Redação
Bahia não sabe o que é vencer nos últimos três jogos e se complica | Foto: Olga Leiria | Ag. A TARDE
Bahia não sabe o que é vencer nos últimos três jogos e se complica | Foto: Olga Leiria | Ag. A TARDE -

Apoiado por sua torcida, que marcou presença na Arena Fonte Nova, o Bahia tinha tudo para sair da zona de rebaixamento na noite deste domingo, 21, mas jogou mal, foi pouco criativo e só empatou em 0 a 0 contra o Cuiabá, pela 33ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. A equipe do Centro-Oeste ainda teve dois gols anulados no primeiro tempo, em lances que causaram polêmica. O resultado mantém o Tricolor na zona maldita e perto de cair para a segunda divisão.

>> Veja tabela de classificação e jogos da Série A

Faltando cinco jogos para o fim do Brasileirão, o Bahia é o 17º colocado, com 37 pontos, dois a menos que o Juventude, primeiro time fora da zona de rebaixamento. O Tricolor volta a campo na próxima sexta-feira, 26, em um duelo de vida ou morte contra o Grêmio, que cumpre jogo atrasado contra o Flamengo no meio da semana e pode chegar ao confronto contra o Tricolor baiano com um ponto na frente.

Duas caras

O Bahia apresentou duas caras desde o retorno de Guto Ferreira. Uma faceta empolgante, de um time esforçado que se organizou rapidamente para emendar logo de cara sete jogos sem derrota. E outra que começou a se mostrar durante o fatídico duelo com o Flamengo, no qual o time foi prejudicado pela arbitragem e perdeu por 3 a 0, e que teve seu ponto mais preocupante na última quinta-feira, 18, quando o Tricolor fez sua pior atuação sob o comando de Gordiola e levou 1 a 0 do Sport, em Recife.

Este domingo, apresentava-se a chance de o Esquadrão mostrar que aquilo não tinha passado de um acidente de percurso, e que o verdadeiro Bahia era o dos jogos anteriores. Porém, a equipe seguiu na mesma toada vista no clássico com o Leão pernambucano.

Lento no toque de bola, sem inspiração e com vacilos não vistos na série invicta – na qual o Bahia levou apenas um gol em sete jogos – o time não conseguia produzir. Até houve uma boa tabela, aos 13 minutos, entre Rodallega e Mugni, que bateu para fora da entrada da área. Entretanto, o Cuiabá logo foi mostrando ser uma equipe melhor preparada e per detalhe não foi para o intervalo em vantagem.

Por detalhe e por decisões contestáveis da arbitragem. Após assustar em chutaço de Max aos 17 minutos, Rafael Gava marcou aos 21, em uma ótima triangulação com assistência de Felipe Marques. A arbitragem, entretanto, com revisão do VAR, anulou o lance por impedimento difícil de cravar nas imagens divulgadas.

A equipe visitante sentia-se em casa. Não era incomodada e ainda chegava com perigo. Aos 38, balançou novamente a rede em cabeçada de Jenison. O gol foi novamente anulado, agora por uma falta em um lance de empurrão aparentemente sutil em Nino. Cinco minutos depois, Jenison usou de novo a testa, livre de marcação. Errou por pouco.

No lucro, o Bahia voltou sem alterações para o segundo tempo, mas logo Guto Ferreira precisou mexer, pois Raí vinha mal demais, já perseguido pela torcida. Rossi entrou em seu lugar e deu novo ânimo, alguns minutos depois ganhando a companhia de Rodriguinho, que substituiu Daniel.

Aos 26, Rodriguinho iniciou a jogada, que passou por Rodallega e chegou em Rossi. O camisa 7 arriscou de longe e Walter espalmou. Dois minutos mais tarde, Rodriguinho recebeu na área, tentou abrir espaço para a finalização, mas carimbou a zaga. E o camisa 10 tentou de novo aos 30, de fora da área, porém, isolou.

Era uma melhora, mas muito pequena para levar o Bahia ao triunfo. Era preciso fazer mais, mas o time não fez. O máximo que conseguiu foi uma bola no travessão, aos 46 minutos, em cabeçada de Rodallega após cruzamento de Rossi. No fim, justamente, levou uma sonora vaia da torcida, muito preocupada.

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS