Bahia oscila, mas termina 1º turno a seis pontos do 5º colocado

Segundo estudo da UFMG, Tricolor tem 65,2% de chances de acesso à Série A

Publicado quinta-feira, 21 de julho de 2022 às 06:15 h | Atualizado em 20/07/2022, 23:50 | Autor: Luiz Teles

Se torcida e críticos se queixam que faltou estabilidade e um futebol vistoso ao Bahia nos primeiros 19 jogos da Série B, por outro lado o Tricolor soube compensar os vacilos ao longo da competição com um comportamento quase bipolar, equilibrando sempre os números para, na média, manter-se acima da nota de corte até com uma certa folga, sem maiores sofrimentos. 

>>Tabela de classificação e jogos do Campeonato Brasileiro Série B

Para passar de ano e conseguir o sonhado acesso à Série A, o Bahia nem vai precisar repetir a boa campanha do 1º turno, fechada com 34 pontos (aproveitamento de 59,6%), na 3ª posição da tabela e com seis de vantagem para o 5º colocado, tendo ficado no G-4 do torneio da 1ª à 19ª rodada. 

Segundo dados do departamento de matemática da UFMG, o time que alcançar 60 pontos nesta Série B tem 94,8% de chances de subir. Faltariam apenas 26 para o Esquadrão, que com mais 19 rodadas pela frente, sendo nove jogos na Fonte Nova e 10 fora de casa, precisa de um aproveitamento de 45,6% para alcançar essa meta, o que aconteceria, por exemplo, se vencer todos seus duelos como mandante.

Para chegar à campanha recorde para o clube em um turno do Brasileirão por pontos corridos (Séries A ou B), o Bahia fez um caminho tortuoso, de pista escorregadia e cheio de altos e baixos. Começou vencendo todos os seis primeiros duelos na Fonte Nova, o que lhe deu fôlego para os rotineiros tropeços longe de Salvador, garantindo ao time uma vaga no G-4 da competição desde a 1ª rodada.

Quando perdeu o 100% de aproveitamento em casa, numa derrota para a Chapecoense, não venceu mais na Fonte Nova, mas passou então a triunfar com frequência longe de seus domínios (terminando o turno como 2º melhor visitante, com 14 pontos), equilibrando o déficit dos pontos perdidos em quatro rodadas consecutivas sem ganhar em Salvador e que o fez finalizar o turno como 5º melhor mandante (20 pontos).

Essa compensação de aproveitamento, mantendo uma média acima da maioria dos concorrentes, é encontrada não apenas na tabela de classificação, mas também outros indicadores de desempenho. O Bahia encerrou o turno com o 2º melhor ataque (21 gols) e a 4ª melhor defesa (10 tentos sofridos). Avaliando a tabela, os únicos times que mantiveram esse equilíbrio nos números foram justamente os quatro primeiros colocados: Cruzeiro, 42; Vasco, 35; Bahia, 34; e Grêmio, 33, e que não à toa abriram larga vantagem para o 5º colocado, Tombense, que soma 28 pontos, na maior diferença entre o 4º e 5º lugares desde o início da disputa da Série B no formato de pontos corridos, com 20 clubes, na temporada 2006.

Terminado o 1º turno, o departamento de matemática da UFMG coloca o Bahia com 65,2% de acesso. Já o Portal Chance de Gol (também especializado em estatísticas do futebol, mas que tem uma metodologia diferente de cálculo e que leva em conta os desempenhos dos times na competição) avalia que o Tricolor tem 83,5% de chances de subir. 

Reapresentação

Após o empate em 1 a 1 com o CRB, terça-feira, o elenco do Bahia se reapresentou ontem à tarde, no CT Evaristo de Macedo, dando início à preparação para o duelo com o líder Cruzeiro, sábado, às 16h, no Mineirão.

Os atletas que atuaram por mais de 45 minutos fizeram um trabalho de recuperação na piscina, academia e fisioterapia, enquanto os demais participaram de um treino técnico. O volante Patrick, que deixou o jogo contra o CRB com dores na coxa, ficou em tratamento no departamento médico e será reavaliado hoje, quando o elenco volta a treinar na Cidade Tricolor.

Publicações relacionadas