Rodrigo Chagas pontua falta de entrosamento para empate no clássico

Publicado quarta-feira, 17 de março de 2021 às 21:35 h | Atualizado em 19/11/2021, 11:58 | Autor: Alex Torres

Ficou evidente a falta de entrosamento de alguns jogadores do Vitória no segundo clássico Ba-Vi de 2021. Entre os onze atletas que começaram atuando, o lateral-esquerdo Roberto e o atacante Walter estreavam com a camisa do Vitória, Alisson Farias retornou de lesão e não jogava desde o ano passado, além de Catatau, que fazia o primeiro jogo como titular.

>> Veja tabela de classificação e jogos do Baianão

>>Pelo Baianão, Ba-Vi movimentado termina empatado sem gols em Pituaçu

Em coletiva de imprensa realizada na noite desta quarta-feira, 17, após o empate sem gols com o Tricolor, pelo Campeonato Baiano, o treinador Rodrigo Chagas concordou que o time chegou desentrosado para a partida. No entanto, ele garantiu que esses atletas podem oferecer mais e que será apenas questão de tempo para que possam entender a filosofia de jogo.

“Muita (dificuldade de entrosamento). Alguns atletas ainda estão começando a entender a nossa ideia de jogo, então é normal ficar um pouco perdido taticamente nas partes defensivas e ofensivas. Vamos colocando nossa filosofia aos poucos e fazendo com que eles possam entender. Fizemos um jogo equilibrado, a garotada do Bahia bastante participativa, causando dificuldade. Então esse aspecto de entrosamento foi importante para a gente”, garantiu o treinador.

Fora o aspecto de ritmo de jogo, o que mais preocupou Rodrigo Chagas na partida não esteve relacionado ao rendimento do time dentro de campo. Isso porque, durante o segundo tempo, o jovem meia Gabriel Santiago, um dos destaques do time até o momento, se machucou sozinho em um lance que iria fazer um giro sobre a bola e saiu de campo com dores no joelho.

Questionado sobre a possibilidade de precisar buscar um jogador para atuar como meia de criação, caso a lesão do atleta se confirme, Chagas pontuou a possibilidade de Alisson Farias na posição. No entanto, como o atacante retornou de lesão, ainda precisaria pegar mais ritmo e sinalizou que existe a possibilidade do Vitória voltar ao mercado.

“Espero que não seja nada demais com o garoto. Torcendo para que ele possa se recuperar rápido e não seja o que estamos pensando. Existe a possibilidade de utilizar o Alisson (Farias) como um meia. Até porquê, é um jogador de muita lucidez e que está retornando agora. Sabemos que precisamos melhorar a intensidade dele e fica complicado cobrar nesse primeiro momento, mas não tenha dúvida que, caso seja confirmado essa lesão, iremos precisar de um meia de armação”, projetou Chagas.

Para o confronto desta quarta, muito se esperava pela estreia do zagueiro Marcelo Alves, que veio de empréstimo do Madureira e treina com o grupo desde a semana passada. No entanto, Rodrigo preferiu seguir apostando em uma solução mais ‘caseira’ e colocou o jovem da base Mateus Moraes para começar ao lado de João Victor.

“Ele (Marcelo Alves) é um jogador que teve uma semana e meia de treino. Vem trabalhando muito bem, tem uma liderança nata. Mas optamos pela manutenção do João Victor e a oportunidade do Mateus Moraes, que precisava dessa oportunidade. Agora é trabalhar e ver o momento melhor para utilizarmos o Marcelo”, afirmou o treinador do Leão.

Sobre a próxima partida, contra o Sampaio Corrêa, pelo Nordestão, o comandante garantiu força total. “Sim (será o time titular). Vamos trabalhar agora para a partida contra o Sampaio Corrêa. Manter o equilibro de todo o elenco, defensiva e ofensivamente para que possamos ter um bom resultado”.

Publicações relacionadas