adblock ativo

Suspensão gera troca de farpas entre Rocha e Rios

Publicado quarta-feira, 02 de novembro de 2016 às 20:08 h | Atualizado em 02/11/2016, 21:06 | Autor: Ricardo Palmeira
José Rocha, presidente do Conselho Deliberativo do Vitória
José Rocha, presidente do Conselho Deliberativo do Vitória -
adblock ativo

A pouco mais de um mês das eleições no clube, agendadas para 10 de dezembro, a política no Vitória ferve cada vez mais. No fim da noite de terça, José Rocha, presidente do Conselho Deliberativo, baixou um ato suspendendo por 30 dias o presidente do Conselho Fiscal, Christóvão Rios.

Segundo a nota oficial, o motivo seria: “ato atentatório aos interesses e ao bom nome do Esporte Clube Vitória, levando ao conhecimento público fatos inverídicos, ao atribuir, falsamente, deliberações sobre a reforma estatutária, em reuniões ilegítimas e ilegais do Conselho Deliberativo”.

De acordo com o estatuto, é o presidente do Conselho Deliberativo que deveria convocar reuniões do órgão. Em maio, após Rocha encerrar uma dessas reuniões, Rios deu sequência a ela e, a partir dali, à revelia de Rocha, deu início à comissão de reforma estatutária.

Além do documento formulado pela comissão, houve outras duas propostas para o novo estatuto rubro-negro. Uma formulada por uma comissão montada por Rocha, que foi aprovada pela assembleia geral de sócios, mas acabaria cancela por ação judicial, pois o documento feria o estatuto atual por não ter a aprovação do Conselho Deliberativo, formado hoje por 245 membros. A terceira proposta veio de Raimundo Viana, presidente do clube, mas foi reprovada em reunião do Conselho.

Polêmica

Já há uma semana, Rios voltou a convocar e liderar reunião do órgão. Na ocasião, apresentou supostas irregularidades dos contratos do projeto da Arena Barradão, que já teriam custado ao Vitória mais de R$ 1 milhão.

Rocha declarou: “O senhor Presidente do Conselho Fiscal precisa responder às seguintes perguntas: porque não fiscaliza o contrato com a Iquine [fabrica de tintas, prestadora de serviços ao Vitória]? Será porque o represente é seu colega no Conselho Fiscal? E porque não fiscaliza como foram aplicados os recursos do convênio com o Estado da Bahia para construção dos campos de treinamento?”.

Rios rebateu: “Ele saiu vaiado das últimas reuniões do Conselho. Ele quer o Vitória do autoritarismo. Para quem não lembra, esse foi o deputado [Rocha é deputado federal pelo PR] que levou o Vitória para a CPI do futebol. É a lama do futebol. Tem que ser banido do Vitória. Ele queria apurar os contratos de TV com a Globo e investigar os contratos com as tintas Iquine na CPI”.

Christóvão Rios é candidato à presidência do Conselho pela chapa ‘Vitória de Todos Nós’. José Rocha deve apoiar a ‘Vitória do Torcedor’. Os dois grupos se apresentam como oposição. Já a situação ainda não se declarou sobre o pleito.

adblock ativo

Publicações relacionadas