Vitória deslancha no fim, vence o Glória-RS e avança à 3ª fase

Os gols foram marcados nos acréscimos da etapa final, por Jadson e Luidy

Publicado quarta-feira, 23 de março de 2022 às 21:15 h | Atualizado em 24/03/2022, 00:20 | Autor: Rafael Tiago Nunes
O Rubro-negro sofreu em campo, mas conseguiu a classificação no apagar das luzes
O Rubro-negro sofreu em campo, mas conseguiu a classificação no apagar das luzes -

Logo na sua primeira entrevista como novo técnico do Vitória, Geninho, de 73 anos, deixou claro sobre o que esperar do time sob a sua batuta: “É um futebol de resultado, não de espetáculo”. E foi isso que o torcedor do Leão viu na noite desta quarta-feira, 23, no Barradão, no triunfo por 2 a 0 em cima do Glória, do Rio Grande do Sul, em partida válida pela segunda fase da Copa do Brasil.

Para quem não assistiu ao jogo pode até pensar que os 2 a 0 podem ter representado alguma melhorar no desempenho do time. Mas não foi bem isso o que aconteceu. Muito pelo contrário. Mesmo com mudança no esquema – Geninho, como prometido, escalou o time com três zagueiros – e na equipe titular, o que se viu foi um time desentrosado, pouco inspirado, sem repertório e cometendo muitos erros bobos de passes, de posicionamento e de finalizações.

O Rubro-Negro só conseguiu avançar de fase porque o Glória, que montou um eficiente ferrolho no meio de campo, vacilou aos 44 minutos do segundo. O zagueiro deu pixota dentro na área, e na tentativa de corrigir a lambança acertou um chute no pescoço de Alisson Santos. Pênalti. O experiente Jadson foi pra cobrança e estufou as redes no último minuto do jogo.

O time gaúcho foi pra cima e após novo vacilo viu Luidy, que tinha acabado de entrar, sair de cara com o goleiro Régis e carimbar a vaga para o Vitória na terceira fase do mata-mata nacional.

A partida marcou a reestreia do atacante colombiano Santiago Tréllez com a camisa vermelha e preta.

Mesmo apresentando um futebol sofrível, o importante mesmo é ter avançado de fase e, é claro, o Pix que a CBF terá que fazer para o Leão. Como avançou, o Rubro-Negro garantiu mais R$ 1,9 milhão.

Como o Bahia está no pote 1 do sorteio da terceira fase, que ocorre na próxima segunda, 28, existe a possibilidade ter Ba-Vi na Copa do  Brasil.

O jogo

Se tem uma coisa que faltou em praticamente toda a partida foi emoção. E no primeiro tempo nem se fala. O Vitória, mesmo jogando em casa, diante da torcida, não ameaçou o gol do Glória-RS nenhuma vez sequer. 

O único lance de maior perigo em toda a primeira etapa foi aos 35 minutos, com Jadson. O camisa 10 recebeu bom passe livre e mandou para o gol, mas a bola subiu um pouco mais do que devia e voou para fora.

O único chute que foi no gol de Régis, nem mesmo pode ser considerado uma finalização, até mesmo porque não ficou claro se Eduardo tentou chutar ou cruzar. Mas certo é que a bola chegou fraquinha e sem perigo nenhum nas mãos do goleiro Régis. E fim de papo.

Na volta do intervalo, se alguém esperava alguma melhora, mesmo que de atitude, se arrependeu. A falta de qualidade técnica de ambas equipes foi assustadora. 

Tudo indicava que a vaga seria decidida nos pênaltis, até que o zagueiro do Glória fez uma lambança e deu pênalti de graça pro Vitória, convertido por Jadson aos 45. Quatro minutos depois, Luidy aproveitou novo vacilo do adversário, fez o segundo e selou a classificação do Rubro-Negro.

Vitória 2x0 Glória-RS - 2ª fase da Copa do Brasil 2022

Local: Estádio Manoel Barradas (Barradão), em Salvador (BA). 

Árbitro: Jefferson Ferreira de Moraes (GO) 

Assistentes: Cristhian Passos Sorence e Hugo Savio Xavier Correa (ambos de GO) 

Cartões Amarelos: Iury, Alan Santos, Jadson e Ewerton Páscoa (Vitória); Baggio, Vítor Santos, Vacaria, Igor, Régis e Rafael Gelatti (Glória-RS)

Gols: Jadsons, aos 46‘, e Luidy, aos 49’ do 2ºT. 

Vitória - Lucas Arcanjo; Alisson Cassiano, Mateus Moraes e Ewerton Páscoa; Alemão, Alan Santos, Eduardo, Jadson e Iury (Alisson Santos); Dinei (Santiago Tréllez) e Roberto. Técnico: Geninho.  

Glória-RS - Régis; Matheus Paulista, Vítor Santos (Douglas Zielke), Igor e Wellington (Felipe Klein); Manolo, Rafael Gelatti, Tcharles e Baggio (Vacaria); Gabriel Almeida e Germano. Técnico: Alê Menezes.


Publicações relacionadas