adblock ativo

Fanning vence e desbanca Mineirinho em Trestles e no ranking do Circuito Mundial

Publicado sexta-feira, 18 de setembro de 2015 às 19:22 h | Atualizado em 19/11/2021, 07:02 | Autor: Paulo Favero | Estadão Conteúdo
adblock ativo

A final da oitava etapa do Circuito Mundial de Surfe colocou frente a frente os dois primeiros colocados do ranking, Adriano de Souza, o Mineirinho, e Mick Fanning. E o australiano levou a melhor, abrindo uma diferença de 1.750 pontos na ponta ao vencer a etapa de Trestles, na Califórnia (EUA).

No próximo evento, ele usará a camisa amarela de líder e tentará manter a distância nas três etapas restantes para ficar com o título da temporada, seu quarto na carreira. "O Adriano é um garoto incrível, estou muito feliz em vencer. Ele nunca desiste e tenho grande respeito por ele", disse.

Para chegar à decisão no último dia de competição, Mineirinho deixou para trás dois conterrâneos. Primeiro, ele superou Wiggolly Dantas nas quartas de final e depois venceu, apertado, Filipe Toledo. Já Fanning ganhou com uma certa folga de Adrian Bucham e na semifinal eliminou Gabriel Medina, que teve suas manobras e aéreos não tão bem avaliadas quanto as batidas na onda do australiano.

Na bateria entre os dois, uma repetição da final em Bells Beach, na Austrália, quando Fanning levou a melhor. O australiano pegou a primeira onda e tirou um 6,50. Depois, emendou um 7,67 e ainda fez um 9,77, para muitos numa onda super valorizada pelos juízes. Já Mineirinho tinha como melhor onda um 7,37 e ficou na combinação com menos de dez minutos para o final. Só que o brasileiro pegou uma ótima onda, tirou 9,07 e colocou fogo na disputa. Só que não apareceu mais nenhum boa onda e Fanning levou a bateria por 17,44 a 16,44.

O resultado deixa os dois mais isolados na briga pelo título mundial, o que não significa que outros surfistas não possam diminuir a diferença nas três etapas restantes, até porque os dois piores resultados nas 11 etapas do circuito são descartados, e isso pode provocar uma certa mudança nos eventos finais, que são Landes, na França, entre 6 e 17 de outubro, Peniche, em Portugal, entre 20 e 31 de outubro, e Pipeline, no Havaí, de 8 a 20 de dezembro.

Para se ter uma ideia, Gabriel Medina, com o terceiro lugar em Trestles, saltou para a sétima posição, com 30.650 pontos. Mas ele só descarta um 25º lugar e um 13º, totalizando 2.250 pontos. Já o líder descarta 3.500 pontos, pois são dois 13º lugares. A reação do atual campeão mundial foi um pouco tardia, mas matematicamente o bicampeonato ainda é possível. Tanto que se levar em conta apenas as três últimas etapas, Medina foi quem mais somou pontos ao lado de Fanning.

Outra motivação para o brasileiro é que ele costuma ir muito bem na perna europeia do Circuito Mundial, nas etapas da França e de Portugal. Os dois eventos serão determinantes para ver se ele terá chance de chegar no Havaí com a possibilidade de conquistar o bicampeonato.

Quem também se mantém na caçada aos líderes é Filipe Toledo, que ficou na terceira posição em Trestles e vem logo atrás dos líderes, com 39.700 pontos. Ele também pode ser beneficiado com os descartes e encostar ainda mais em Mineirinho e Fanning para chegar ao Havaí com chance de ser o campeão - o garoto de Ubatuba tem apenas 20 anos.

FEMININO - Na disputa da prova feminina, Carissa Moore venceu a sul-africana Bianca Buitendag na final e levou o título em Trestles. O resultado colocou a havaiana de volta à liderança da competição feminina do Circuito Mundial de Surfe, à frente da norte-americana Courtney Conlogue.

Confira o ranking mundial masculino após oito etapas:

1º - Mick Fanning: 44.700 pontos

2º - Adriano de Souza: 42.950

3º - Filipe Toledo: 39.700

4º - Owen Wright: 38.400

5º - Julian Wilson: 34.950

6º - Kelly Slater: 32.400

7º - Gabriel Medina: 30.650

8º - Jeremy Flores: 29.000

9º - Ítalo Ferreira: 28.900

10º - Nat Young: 27.950

12º - Wiggolly Dantas: 26.350

20º - Jadson André: 15.950

21º - Miguel Pupo: 14.750

adblock ativo

Publicações relacionadas