adblock ativo

Grupo unido é fundamental para Olimpíada, diz Marcelo

Publicado quarta-feira, 11 de julho de 2012 às 14:36 h | Atualizado em 11/07/2012, 14:36 | Autor: Agência Estado
adblock ativo

O lateral Marcelo é uma das apostas de Mano Menezes para os Jogos Olímpicos de Londres. Ele foi um dos três jogadores acima dos 23 anos escolhido pelo treinador para fazer parte do elenco, e um dos motivos para esta opção pode ter sido a experiência do atleta. Mesmo com apenas 24 anos, ele é um dos que mais vezes atuou pelo Brasil e ainda tem a seu favor o fato de ter feito parte da seleção que foi aos Jogos de Pequim, a quatro anos.

Com o conhecimento de quem já atuou em uma Olimpíada, Marcelo apontou que a união será o fator mais importante para uma campanha de sucesso na capital inglesa. "A maior aprendizado de 2008 foi se dedicar ao grupo. É muito importante formar um grupo unido e com bom ambiente", declarou.

Se há quatro anos atrás a seleção ganhou a medalha de bronze, o lateral espera agora conquistar o inédito ouro para o futebol brasileiro. Para isso, ele promete empenho máximo nos treinos e nos jogos. "Toda vez que visto a camisa da seleção meu objetivo é ajudar. Trabalhei muito por esse objetivo. Sempre fiz o meu melhor para chegar nesse momento", comentou.

A escolha de Marcelo foi muito comentada pelo temperamento do jogador. Em campo, o lateral já se desentendeu com adversários em diversas oportunidades, chegando a ser expulso em algumas delas. Mas ele garante que isso é apenas vontade de jogar pela seleção. "Quando estou na seleção, deixo a minha pele, a minha vida em campo. Quando jogava na rua e via os jogos da seleção, eu sabia o que representava estar na seleção", apontou.

Com a convocação para Londres, Marcelo vai se firmando como dono da lateral esquerda, algo que a posição não tinha desde que Roberto Carlos deixou a seleção, após a Copa do Mundo de 2006. Por isso, e pelo fato de ambos terem feito boa parte da carreira no Real Madrid, as comparações são inevitáveis.

"Cheguei no Real para fazer minha própria história. Tinha apenas 18 anos e era uma responsabilidade muito grande ser o substituto do Roberto Carlos. Quero fazer a história do Marcelo. Roberto Carlos foi o melhor lateral do mundo. Não vai ter outro igual", avaliou.

adblock ativo

Publicações relacionadas