adblock ativo

Hamilton vence no Canadá e amplia vantagem na ponta; Massa vai bem e é o 6º

Publicado domingo, 07 de junho de 2015 às 17:01 h | Atualizado em 07/06/2015, 18:28 | Autor: Gabriel Melloni | Estadão Conteúdo
Lewis Hamilton
Lewis Hamilton -
adblock ativo

O inglês Lewis Hamilton deu o troco no companheiro Nico Rosberg, se recuperou da terceira colocação em Mônaco, há duas semanas - quando o alemão triunfou -, e venceu o GP do Canadá de Fórmula 1 neste domingo, em Montreal. Depois de largar na pole, o bicampeão mundial liderou praticamente de ponta a ponta, chegou a levar um susto no fim, mas confirmou a quarta vitória no Mundial.

Hamilton completou as 70 voltas do Circuito Gilles Villeneuve em 1h31min53s145, pouco mais de dois segundos à frente de Rosberg. O alemão cortou a diferença no fim e chegou a ameaçar seu companheiro, mas ficou nisso. A terceira colocação ficou com o surpreendente Valtteri Bottas, da Williams, que se tornou o primeiro piloto fora da Mercedes ou da Ferrari a subir no pódio em 2015.

A Ferrari, aliás, veio logo na sequência com seus dois pilotos. Kimi Raikkonen fez uma prova correta e terminou na quarta colocação. Já Sebastian Vettel foi um espetáculo à parte neste domingo, largou em 19.º e, após uma incrível corrida de recuperação, terminou em quinto.

Quem também mostrou talento para deixar as últimas colocações e pontuar neste domingo foi o brasileiro Felipe Massa. Ele largou em 15.º, acertou na estratégia com a Williams, conquistou nove posições e terminou em sexto, pontuando pela sexta vez em sete corridas. Já Felipe Nasr viveu um dia para esquecer, foi prejudicado por escolhas erradas da Sauber e terminou somente em 16.º.

Com o resultado deste domingo, Hamilton abriu vantagem na liderança do Mundial de Pilotos, chegando a 151 pontos, 17 à frente de Nico Rosberg. Vettel aparece na sequência, com 108, enquanto Raikkonen é o quarto, com 72. Massa tem 47 e é o sexto, enquanto Nasr é o décimo, com 16.

A corrida

A prova foi dividida em dois setores. Na ponta, a Mercedes viveu uma briga particular, com a disputa entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg. Hamilton liderou praticamente de ponta a ponta e administrou bem a vantagem por quase metade da corrida, quando os dois pilotos foram para os boxes.

Então, Rosberg voltou visivelmente melhor e foi cortando a diferença pouco a pouco. As últimas 15 voltas foram de pressão intensa do alemão, que era mais rápido que o companheiro a cada tomada de tempo. Mas foi só um susto. Apesar da aproximação do alemão, Hamilton se segurou na ponta de forma contundente e garantiu mais uma vitória.

Com isso, as emoções ficaram mesmo por conta dos pilotos que largaram mais para trás. Felipe Massa, por exemplo, foi responsável por alguns dos melhores momentos da prova. Depois de largar em 15.º, o brasileiro ganhou duas posições logo na largada. Na 16.ª volta, já estava na zona de pontuação, em nono.

A estratégia de utilizar os pneus macios o máximo possível deu certo e o piloto da Williams chegou a ser o mais rápido da prova. Com as paradas dos adversários, subiu para quinto, mas na 38.ª volta foi a vez dele parar. Com compostos supermacios, sofreu um pouco mais, mas ainda assim manteve o bom rendimento e segurou a sétima posição. No fim, presenteou a torcida com uma última linda ultrapassagem sobre Pastor Maldonado, que lhe garantiu a sexta posição.

Se Massa foi bem, Sebastian Vettel deu um show e mostrou todo o talento de um tetracampeão mundial. Punido no sábado, largou em 19.º, mas foi ultrapassando seus adversários um a um. Viveu um duelo particular com Fernando Alonso, suou para passar e, quando finalmente conseguiu, precisou ir para os boxes.

Mas nem isso foi capaz de parar o piloto da Ferrari. Em novo confronto com Alonso, voltou a levar a melhor. Mais rápido, contou com as paradas dos carros que estavam à sua frente para subir. Com uma linda ultrapassagem sobre Maldonado, subiu para a quinta posição na 56.ª volta e nela se manteve até o fim.

Se viveu bons momentos na briga com Vettel, Alonso completou seu fim de semana de pesadelo neste domingo ao abandonar, na 47.ª volta, pela quarta vez na temporada, novamente com problemas no carro. A etapa canadense, aliás, foi das piores para toda a McLaren, uma vez que Jenson Button, que sequer participou do treino classificatório, também abandonou pouco depois.

Quem também viveu um fim de semana para ser esquecido foi o brasileiro Felipe Nasr. Depois de um forte acidente no treino livre do sábado e de largar em 14.º, o piloto da Williams sofreu com um ajuste errado de sua equipe no carro, ficou longe da zona de pontuação e teve que se contentar com a 16.ª posição.

adblock ativo

Publicações relacionadas