Jovens atletas baianos viajam rumo às Paralímpiadas Escolares de 2023 | A TARDE
Atarde > Esportes

Jovens atletas baianos viajam rumo às Paralímpiadas Escolares de 2023

Treino coletivo foi realizado na manhã desta sexta-feira, 24, na pista de atletismo da UFBA

Publicado sexta-feira, 24 de novembro de 2023 às 13:32 h | Atualizado em 24/11/2023, 14:00 | Autor: Téo Mazzoni
A Bahia contará com nove representantes em quatro modalidades distintas
A Bahia contará com nove representantes em quatro modalidades distintas -

Durante a manhã desta ensolarada sexta-feira, 24, em Salvador, foi realizado um treino coletivo, às 11h, na pista de atletismo do centro de Educação Física da UFBA, em Ondina, visando preparar os atletas paralímpicos baianos que vão representar as cores do estado nas Paralimpíadas Escolares de 2023. O evento será realizado em São Paulo, de 7 de novembro a dia 1º de dezembro.

O encontro, realizado pela Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (SUDESB), foi o último antes da viagem para São Paulo e teve como intenção dar orientações técnicas aos jovens e também estreitar os laços entre técnicos, oficiais e familiares dos estudantes. 

Na edição de 2023, a Bahia contará com nove representantes em quatro modalidades distintas: Natação, Atletismo, Tênis de Mesa e Badminton. Essa será a primeira vez na história que a Bahia terá um representante no Badminton, um desporto individual ou de pares, semelhante ao tênis e ao vôlei de praia, praticado com raquete e um volante ou pena que deve passar por cima de uma rede. 

Durante a realização do treino coletivo, o Portal A TARDE conversou com Davi Santos, de apenas 11 anos, que possui deficiência visual e representará a Bahia no atletismo. O jovem revelou estar muito ansioso e com altas expectativas para a competição: “Vou para ser campeão. Quero trazer duas medalhas de ouro e uma de prata para casa”.

Ainda no evento, a reportagem do Portal A TARDE teve a oportunidade de falar com Márcio Peruna, educador físico e treinador do pequeno Davi. Márcio aproveitou o momento para destacar a importância da prática de esportes na vida de jovens que possuem alguma deficiência: “A pessoa com deficiência tem que utilizar o esporte como um instrumento para promover a autonomia”.

Peruna afirmou que apesar da pouca experiência de Davi, ele acredita que o pequeno atleta irá conquistar medalhas nas três modalidades que irá disputar. “A primeira competição de Davi foi disputada em agosto e ele superou nossos expectativas, portanto, nós acreditamos que ele pode trazer medalhas nas três modalidades disputadas, inclusive a de primeiro lugar”, disse. 

Os meninos e meninas baianos com deficiências física, visual e intelectual que irão viajar a São Paulo treinam e têm acompanhamento do Instituto de Organização Neurológica da Bahia (ION), da Fundação José Silveira (IBR), do Instituto de Cegos da Bahia (ICB), do Centro de Atendimento de Educação Vera Cruz e do Centro de Referência Paralímpico da Bahia.

Publicações relacionadas