adblock ativo

Ana Marcela busca medalha na maratona aquática na Olimpíada

Publicado segunda-feira, 15 de agosto de 2016 às 08:39 h | Atualizado em 15/08/2016, 08:39 | Autor: Aurélio Lima
Ana Marcela Cunha
Ana Marcela Cunha -
adblock ativo

Após quatro anos de intensa preparação, que resultou em mais de 13 mil quilômetros nadados e uma série de voos que somados dariam várias voltas ao redor da terra, Ana Marcela larga nesta segunda, 15, às 9h, para os 10 km da maratona aquática mais esperada de sua carreira.

O desafio aquático para o qual a nadadora baiana cumpriu todo um ciclo olímpico e estava em uma contagem regressiva diária, contará com a paulista Poliana Okimoto e outras 23 concorrentes classificadas para a Rio-2016, na praia de Copacabana. "Depois de toda a preparação, tanta dedicação,  quero mesmo que chegue o momento da prova. Estou pronta, fiz tudo que tinha de ser feito", garantiu Ana em entrevista ao A TARDE.

Diferentemente da maioria das outras modalidades, em que a decisão de medalhas pode durar várias fases, em um dia ou mais, a maratona aquática exige o mesmo período de preparação, mas define os ganhadores de medalhas em etapa única. Assim, na briga pelo título da Rio-2016, Ana e Okimoto terão pouco mais de 2h de uma prova de 10 km.

A atleta soteropolitana confessa que competir em uma Olimpíada no , e esta realizada no Brasil, é ao mesmo tempo o maior desafio da carreira e a  prova de sua vida. "Nadar em casa é o máximo", reconheceu ela.

Nessa  guerra que será as 2h de maratona aquática, a escolha do local de concentração conta na estratégia. Assim, a equipe da baiana optou por um hotel de fácil acesso à nadadora, que fez o  reconhecimento da raia olímpica no sábado e ontem.

Além disso, ela terá por perto o apoio de parentes mais chegados. "Vão acompanhar a prova os meus pais e meus avós, e mais uns 15 amigos e amigas", contou Ana Marcela.

Teoricamente, as principais adversárias de Ana Marcela e Poliana Okimoto seriam a francesa Aurélie Muller (campeã mundial), a holandesa Sharon Van Rouwendaal, (vice-campeã mundial) e a italiana Rachele Bruni (4º  no  mundial).

Mas, como ressalva a própria Ana Marcela, não se pode descuidar da russa Anastasia Krapivina (5ª no Mundial), e da norte-americana Haley Anderson (9ª no Mundial), mas que assim como Anastasia é considerada entre as favoritas.

Bronze no último Mundial, a própria nadadora baiana argumenta ser complicado avaliar com 100% de certeza qual das concorrentes será mais consistente em Copacabana, onde ela foi prata no evento-teste, vencido pela britânica Keri-Anne Payne.

Ana ficou em segundo lugar, com o tempo de 2h12m19s, apenas um segundo atrás da britânica. Já Okimoto não chegou a completar o percurso, ao sentir  uma lesão na virilha. "Não terei preferência de nomes para me preocupar em marcar, tenho que ter o controle de quem se mostrar melhor na prova", ponderou Ana.

adblock ativo

Publicações relacionadas