adblock ativo

Superclássico faz CBF temer crise entre times do Brasil

Publicado sexta-feira, 12 de outubro de 2012 às 14:52 h | Atualizado em 19/11/2021, 05:06 | Autor: Jamil Chade | Agência Estado
adblock ativo

O jogo entre o Brasil e Argentina, válido pela final do Superclássico das Américas, se transforma em uma novela e a CBF já teme uma crise entre os clubes brasileiros. Na quinta-feira, a Conmebol havia confirmado o jogo para o dia 21 de novembro, em Buenos Aires. Mas, nesta sexta-feira, o diretor de seleções da CBF, Andrés Sanchez, declarou que ficou sabendo da decisão pela imprensa e que o grupo em nenhum momento foi comunicado ou consultado. Para completar, admite que terá de aceitar a convocação de jogadores de clubes competindo nas rodadas decisivas do Brasileirão.

Na semana passada, o Superclássico foi cancelado por falta de energia, na cidade argentina de Resistencia. A seleção do Brasil chegou a entrar em campo, mas os holofotes se apagaram segundos antes do início da partida. Num primeiro momento, o governo argentino e os cartolas insistiram em levar o jogo de volta para Resistencia em 2013 para atender a políticos locais.

A CBF já deixou claro que sequer queria disputar a final e, muito menos, em Resistencia. Depois de muita insistência, os brasileiros aceitaram disputar a partida na capital Argentina. Mas a ideia é de que o jogo ocorreria em 2012.

Na primeira partida do confronto, em Goiânia, a seleção brasileira venceu por 2 a 1 e agora apenas precisa de um empate para ficar com a taça. Mas, já temendo uma gritaria por clubes brasileiros em ter de liberar jogadores no final do ano, a CBF tentou vender duas opções: ou se declarava o Brasil como campeão ou o jogo ficaria para 2013.

Sanchez não disfarçou a surpresa ao ser informado que a data seria a de 21 de novembro. "Será muito difícil", declarou. O ex-presidente do Corinthians já prevê a necessidade de administrar uma eventual crise entre os clubes. Entre os que disputam uma vaga na Libertadores, a ideia de liberar jogadores não será vista com bons olhos. Na ponta da tabela, a mesma situação.

Lucas é um dos que já começa a contar o número de dias que terá de entrar em campo no final de novembro. "O São Paulo tem jogos importantes e tem ainda a seleção. Eu obviamente estou à disposição. Mas será uma série intensa", declarou.

Além do jogo contra a Argentina, a seleção estará nos Estados Unidos no dia 14 para um amistoso contra a Colômbia, em uma outra partida que os clubes europeus já estão se queixando. Mano havia indicado que, nessa data, tentaria fechar o grupo com jogadores que estão no exterior, justamente para aliviar a pressão sobre os clubes brasileiros.

adblock ativo

Publicações relacionadas