WTA suspende torneios na China por conta da situação da tenista Peng Shuai

Publicado quarta-feira, 01 de dezembro de 2021 às 17:05 h | Atualizado em 01/12/2021, 18:26 | Autor: AFP

O presidente da Associação de Tênis Feminino (WTA), Steve Simon, anunciou nesta quarta-feira, 1º, "a suspensão dos torneios na China" devido à situação da jogadora Peng Shuai. 

"Eu anuncio a suspensão imediata de todos os torneios WTA na China, incluindo Hong Kong. Conscientemente, não vejo como pedir às nossas atletas para participarem de torneios quando Peng Shuai não tem permissão para se comunicar livremente e supostamente esteve sob pressão para se retratar de suas acusações de violência sexual", escreveu Simon em um comunicado.

"Devido à situação atual do caso, também estou muito preocupado com os riscos que todas as nossas jogadoras e funcionários correrão se organizarmos torneios na China em 2022", acrescentou o dirigente. 

Nenhum torneio da WTA está previsto até o fim deste ano e a programação de 2022 ainda não foi divulgada. 

Durante a temporada de 2019, a última antes da pandemia covid-19, dez competições foram realizadas na China, incluindo o Women's Masters de final de ano. 

"A WTA fará todo o possível para proteger suas jogadoras. Junto conosco, espero que os líderes mundiais continuem a defender a justiça para Peng e todas as mulheres, independentemente das consequências econômicas." 

Peng Shuai, de 35 anos, desapareceu por vários dias em novembro após acusar um ex-líder comunista chinês de abuso sexual. 

Muitas estrelas mundiais do tênis, de Chris Evert a Novak Djokovic, vários países ocidentais, notadamente França e Estados Unidos, e organizações como a União Europeia e a ONU, pediram a Pequim informações sobre o destino de Peng Shuai. 

A jovem reapareceu no dia 21 de novembro em um restaurante em Pequim e durante um torneio de tênis realizado na capital chinesa, segundo vídeos publicados pela imprensa oficial. 

Ela também falou por videoconferência com o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach. 

De acordo com o COI, Peng Shuai explicou que estava "sã e salva em sua casa em Pequim, mas gostaria que sua privacidade fosse respeitada". 

Li Lingwei, membro do Comitê Olímpico Chinês, participou da videoconferência com Thomas Bach. 

A WTA disse à AFP no sábado que Steve Simon havia enviado dois e-mails à tenista, mas que "estava claro que suas respostas foram influenciadas por outras pessoas", acrescentando que ele continua "profundamente preocupado" com a situação dela.

Publicações relacionadas