adblock ativo

Biografia de Eike Batista revela chantagem de ex-namorada

Publicado segunda-feira, 24 de novembro de 2014 às 09:46 h | Atualizado em 24/11/2014, 09:46 | Autor: Da Redação
Livro biografia Eike Batista
Livro biografia Eike Batista -
adblock ativo

A biografia do empresário Eike Batista - que chega às livrarias nesta segunda-feira, 24 - faz revelações bombásticas sobre sua relação com a ex-namorada, Flávia Sampaio. Escrito pela jornalista Malu Gaspar, o livro 'Tudo ou Nada — Eike Batista e a Verdadeira História do Grupo X' traz à tona uma chantagem feita por Flávia após descobrir que Eike a traía com garotas de programa.

De acordo com o trecho publicado no livro, o fato aconteceu no início de 2009, quando a namorada do então bilionário começou a ter ataques de ciúmes por causas das suas ausências e decidiu tirar isto a limpo.

"Junto com a mulher de um executivo de quem se tornara amiga, e que era funcionária da área de informática do grupo X, entrou no escritório de Eike e conseguiu, por meio de uma senha padrão, ter acesso aos e-mails de uma das secretárias do empresário. E o que descobriu a deixou possessa: entre agendas e compromissos de trabalho, havia uma boa quantidade de catálogos virtuais com fotos de garotas de programas de diversos locais do Brasil. Em algumas mensagens, as próprias meninas e seus agenciadores perguntavam à secretária se o "cliente" gostara do atendimento e se colocavam à disposição para novas aventuras. Com cópias de tudo aquilo nas mãos, Flávia ameaçou fazer um escândalo de grandes proporções", relata o livro.

Em troca do seu silêncio, Flávia fez algumas exigências ao empresário e ganhou um comfortável apartamento em Ipanema, um carro novo e a abertura de uma clínica de estética para administrar. A clínica, que recebeu investimentos de R$ 15 milhões e nunca deu lucro, fechou de forma repentina dois anos depois.

"Nessa mesma época, aliás, seu escritório de advocacia — o Sampaio, Morrison & Boquimpani Advogados Associados — foi contratado formalmente para prestar serviços a todas as companhias do grupo. Recebia, de cada uma, cerca de 20 mil por mês fixos, que podiam aumentar a depender do tipo de assessoria prestada. Embora financeiramente insignificante perto da pujança das empresas X na bolsa, aquele era um privilégio que nenhum outro assessor jurídico do grupo tinha", acrescenta a autora do livro.

adblock ativo

Publicações relacionadas