Menu
Pesquisa
Pesquisa
Busca interna do iBahia
HOME > GUERRA EM ISRAEL
Ouvir Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Facebook Compartilhar no X Compartilhar no Email
09/11/2023 às 22:45 - há XX semanas | Autor: AFP

Para o Brasil, morte de crianças em Gaza faz pensar em 'genocídio'

Mais de 10.000 pessoas morreram sob as bombas israelenses na Faixa de Gaza

O ex-chanceler avaliou a morte de milhares de crianças palestinas em bombardeios israelenses
O ex-chanceler avaliou a morte de milhares de crianças palestinas em bombardeios israelenses -

O representante do Brasil na Conferência de Ajuda Humanitária para Gaza, o ex-chanceler Celso Amorim, defendeu, nesta quinta-feira (9), um "cessar-fogo" e avaliou que a morte de milhares de crianças em bombardeios israelenses faz pensar em "genocídio".

Israel lançou uma campanha de bombardeios em Gaza em 7 de outubro em resposta ao ataque do movimento islamista Hamas nesse mesmo dia, o qual matou mais de 1.400 pessoas, em sua maioria civis, e que mantém sequestrados cerca de 240 reféns, segundo as autoridades.

Mais de 10.000 pessoas, em sua maioria civis e entre elas mais de 4.000 crianças, morreram sob as bombas israelenses na Faixa de Gaza, um pequeno território de 360km² onde vivem amontoados mais de dois milhões de pessoas, segundo o ministério da Saúde do Hamas.

"Eu reitero a condenação do Brasil dos ataques terroristas contra os israelenses e a tomada de reféns. No entanto, atos bárbaros como esses não justificam o uso indiscriminado da força contra civis", disse Amorim em um discurso em inglês.

"A morte de milhares de crianças é chocante. A palavra genocídio inevitavelmente vem à mente", acrescentou o assessor especial da Presidência brasileira durante o evento em Paris.

A França organizou essa conferência para reunir os principais doadores e acelerar a ajuda - alimentos, energia e equipamentos médicos - para a Faixa de Gaza, que também registra um êxodo de seus habitantes em direção ao sul.

As Nações Unidas estimam que seria necessário angariar 1,2 bilhão de dólares (quase 6 bilhões de reais) de ajuda para as populações de Gaza e Cisjordânia daqui até o final do ano.

O ex-ministro das Relações Exteriores e de Defesa brasileiro defendeu um "cessar-fogo humanitário" e que se garanta passagens seguras para a entrada de ajuda humanitária para hospitais e escolas.

Amorim considerou que a situação atual faz parte de "um conflito mais amplo que já dura 75 anos", cuja solução, em sua opinião, é "o reconhecimento de um Estado palestino viável" ao lado de Israel "com fronteiras seguras e mutuamente aceitas" por ambos.

Assuntos relacionados

Celso Amorim cessar-fogo Conferência de Ajuda Humanitária genocídio Palestina

Compartilhe essa notícia com seus amigos

Compartilhar no Email Compartilhar no X Compartilhar no Facebook Compartilhar no Whatsapp

Tags:

Celso Amorim cessar-fogo Conferência de Ajuda Humanitária genocídio Palestina

Repórter cidadão

Contribua para o portal com vídeos, áudios e textos sobre o que está acontecendo em seu bairro

ACESSAR

Assuntos relacionados

Celso Amorim cessar-fogo Conferência de Ajuda Humanitária genocídio Palestina

Publicações Relacionadas

A tarde play
O ex-chanceler avaliou a morte de milhares de crianças palestinas em bombardeios israelenses
Play

500 pessoas morreram em ataque contra hospital em Gaza

x

Assine nossa newsletter e receba conteúdos especiais sobre a Bahia

Selecione abaixo temas de sua preferência e receba notificações personalizadas

BAHIA BBB 2024 CULTURA ECONOMIA ENTRETENIMENTO ESPORTES MUNICÍPIOS MÚSICA POLÍTICA