ONU aprova resolução e pede fim imediato de ataques à Ucrânia

Rússia considerou que a resolução é 'antirussa'

Publicado quinta-feira, 24 de março de 2022 às 14:14 h | Atualizado em 24/03/2022, 14:14 | Autor: Da Redação
Brasil foi um dos 140 países que votou à favor da resolução
Brasil foi um dos 140 países que votou à favor da resolução -

Com 140 votos à favor, cinco contrários e 38 abstenções, a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas aprovou nesta quinta-feira, 24, uma resolução sobre as consequências humanitárias dos ataques russos contra a Ucrânia.

O documento ressalta os ataques da Rússia contra civis ucranianos e cita as "terríveis consequências humanitárias", que está, segundo a resolução, "em uma escala que a comunidade internacional não vê na Europa há décadas".

A resolução A/ES-11/L.2 cita ainda os bombardeios em cidades ucranianas e repudia os ataques em Mariupol.

Os Estados-membros pediram ainda a total proteção de mulheres, crianças, jornalistas e trabalhadores do setor humanitário.

Foi enaltecido ainda os esforços contínuos pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, Estados-membros e sistema internacional para garantir assistência humanitária e proteção aos refugiados.

O texto, apresentado pela Ucrânia e promovido por México e França, pede o fim imediato dos ataques na Ucrânia, bem como "qualquer ataque contra civis e alvos civis".

Entre os países que aprovaram a resolução estão o Brasil, França, Iraque, Filipinas e Eslovaquia. Os países que votaram contra foi Rússia, Síria, Coreia do Norte, Eritreia e Belarus.

A Rússia considerou a resolução como 'antirussa' e afirmou que a ajuda humanitária está sendo politizada.

Publicações relacionadas