Zelensky diz que Rússia levanta novo 'muro' na Europa

Pedido de ajuda para combater a Rússia foi feito diretamente para a Alemanha

Publicado quinta-feira, 17 de março de 2022 às 08:18 h | Atualizado em 17/03/2022, 08:18 | Autor: AFP
O presidente também lamentou as estreitas relações estabelecidas entre Alemanha e Rússia
O presidente também lamentou as estreitas relações estabelecidas entre Alemanha e Rússia -

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu à Alemanha, nesta quinta-feira, 17, que derrube o novo "muro" que está sendo erguido na Europa contra a liberdade desde a invasão da Ucrânia por parte da Rússia.

"Não é um muro de Berlim, é um muro na Europa Central entre a liberdade e a escravidão, e este muro fica maior a cada bomba lançada sobre a Ucrânia", disse Zelensky em uma mensagem de vídeo exibida na Câmara Baixa do Parlamento alemão.

"Querido sr. chanceler (Olaf) Scholz, derrube este muro. Dê à Alemanha o papel de liderança que merece", afirmou, ao evocar apelo feito durante a Guerra Fria pelo então presidente americano, Ronald Reagan, em Berlim.

"Um povo está sendo destruído na Europa", advertiu Zelensky, que mencionou as mortes de 108 crianças na Ucrânia desde o iníco da ofensiva. "Nos ajudem a parar esta guerra", pediu.

Em seu discurso, o presidente também lamentou as estreitas relações estabelecidas entre Alemanha e Rússia nos últimos anos, especialmente no campo energético.

"Caro povo alemão: como é possível que, quando dissemos que o Nord Stream 2 (gasoduto entre Rússia e Alemanha, cuja entrada em operação foi finalmente suspensa por Berlim, ndlr) era uma forma de preparar a guerra, ouvíssemos em resposta que 'era puramente econômico'?", questionou. 

Esses projetos realizados por Alemanha e Rússia "foram a base do novo muro", criticou. 

A Ucrânia se opôs desde o início a este gasoduto, que já está concluído, mas foi suspenso, após a invasão russa da Ucrânia, iniciada há três semanas.

A Alemanha quer prescindir do petróleo russo até o final do ano. Já em relação ao gás, parece mais complicado para a Alemanha abandonar as importações procedentes da Rússia.

Publicações relacionadas