Menu
Pesquisa
Pesquisa
Busca interna do iBahia
HOME > CADERNO IMOBILIÁRIO
Ouvir Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Facebook Compartilhar no X Compartilhar no Email
25/05/2024 às 6:00 - há XX semanas | Autor: Joana Oliveira

Aluguel de casa para o São João no interior da Bahia chega a R$ 15 mil

Existem municípios que recebem um número de pessoas 5 vezes maior que o da população

Imagem ilustrativa da imagem Aluguel de casa para o São João no interior da Bahia chega a R$ 15 mil
-

Mais de 30 atrações musicais em cinco ou seis dias de festa e, em média, 130 horas de forró. Além de muito licor e delícias típicas juninas. Esses são os principais atrativos das cidades interioranas com tradição nas celebrações de São João, que atraem visitantes de todo o estado e de outros lugares do país. O período é uma ótima oportunidade para quem tem imóveis para alugar: a depender da localização e espaço da casa, é possível faturar até R$ 15 mil.

Em Amargosa, um dos destinos mais tradicionais para esse período, que fica a 257 quilômetros de Salvador, a expectativa é que a população de 36.500 habitantes quintuplique: a prefeitura estima a chegada de 200 mil turistas durante os seis dias de São João. A lotação já é alta em hotéis e pousadas, mas ainda há casas para alugar. “Essa movimentação faz com que, segundo o Banco Central, haja um incremento na poupança dos moradores e 75% das dívidas bancárias da população sejam quitadas após as festas juninas”, comenta o prefeito da cidade, Júlio Pinheiro.

Mais perto da capital, em Cachoeira, a expectativa também é alta. O corretor Jaelson Calumbi já alugou cinco imóveis e conta que, desde o início de maio, houve um aumento do número de clientes que o procuram para disponibilizar seus imóveis nessas datas. “Dentro do circuito da festa, os aluguéis ficam, em média, entre R$ 3,5 mil e R$ 4 mil. Mas uma casa maior, de cinco quartos, por exemplo, pode chegar a R$ 7 mil”, avalia.

Segundo o corretor, quem está disposto a se afastar um pouco do centro em que tudo acontece, pode pagar um pouco menos. A cinco ou 10 minutos de distância, os aluguéis caem para R$ 2,5 mil ou R$ 3 mil. Se o imóvel ficar ainda mais distante da festa, é possível aluga por R$ 1, 5 mil. “Este ano, a procura está maior do que em 2023, quando ainda sentimos um eco da pandemia de Covid-19. Agora, mesmo antes de divulgarem a programação da festa, o movimento já estava mais intenso”, diz.

A comerciante Sandra Souza, moradora de Cachoeira, concorda. Até o momento, ela já alugou oito imóveis para o São João. “Como eu sempre tive comércio no centro e sou bastante conhecida na cidade, comecei a alugar os meus próprios imóveis por temporada. Depois, os amigos e vizinhos pediram para alugar os deles no São João”, conta ela, que, há 10 anos, é uma espécie de corretora involuntária. A maior parte das casas que aluga têm dois ou três quartos, ficam no centro da cidade e podem custar até R$ 6 mil.

Orientações e cuidados

Sandra Souza conta que nunca teve problemas ao final dos aluguéis de temporada, mas ressalta que adota precauções para receber de volta os imóveis no mesmo estado em que os entregou aos inquilinos. “Faço questão de ter um contrato, que explicita tudo o que tem e não tem na casa. Sempre entrego as chaves em mãos dos locatários, mesmo que eu precise trabalhar até as duas ou três da manhã, quando muita gente chega à cidade”, relata.

Fábio Braga, delegado do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (Creci-BA) em Santo Antônio de Jesus, outro destino popular no São João, conta que muita gente aluga a própria residência durante o período de festas e vai ficar na casa de familiares, para garantir uma renda extra. “Os aluguéis vão de R$ 2 mil até R$ 15 mil e a procura aumenta ainda mais nos 15 dias antes do início da festa”. O especialista alerta, no entanto, que é recomendável adotar algumas medidas para que a tentativa de lucro não vire dor de cabeça.

A primeira delas é entender e definir para que perfil de locatário se deseja alugar. “Grupos de jovens, que geralmente consomem mais álcool nos festejos, podem representar mais risco de algo dar errado no imóvel. Você pode preferir alugar para famílias ou casais”, diz o delegado do Creci-BA.

Braga recomenda que sempre seja feito um contrato de locação, no qual deve constar o limite de pessoas para o imóvel e um inventário de todos os bens presentes nele. “É importante fazer uma vistoria em fotos e vídeos, testando os equipamentos e aparelhos, para comprovar que os eletrodomésticos e demais equipamentos estavam em perfeito funcionamento antes da chegada dos inquilinos”, acrescenta. Essa vistoria deve ser repetida ao fim do período de locação.

O corretor também destaca a possibilidade de pedir um calção do aluguel como garantia. Sobre os custos com água e energia, ele aconselha aos locadores chegar os medidores de água e eletricidade ao final da estadia dos locatários, calcular o gasto e cobrar deles. “Se possível, inclua no valor do aluguel a taxa de serviço de limpeza e manutenção realizadas por alguém de sua confiança”, orienta. Assim, além de garantir a boa higiene do imóvel, os proprietários podem ter uma segurança extra para evitar surpresas desagradáveis.

Assuntos relacionados

aluguel de imóveis Festas juninas investimento imobiliário São João segurança em locação turismo regional

Compartilhe essa notícia com seus amigos

Compartilhar no Email Compartilhar no X Compartilhar no Facebook Compartilhar no Whatsapp

Tags:

aluguel de imóveis Festas juninas investimento imobiliário São João segurança em locação turismo regional

Repórter cidadão

Contribua para o portal com vídeos, áudios e textos sobre o que está acontecendo em seu bairro

ACESSAR

Assuntos relacionados

aluguel de imóveis Festas juninas investimento imobiliário São João segurança em locação turismo regional

Publicações Relacionadas

Assine nossa newsletter e receba conteúdos especiais sobre a Bahia

Selecione abaixo temas de sua preferência e receba notificações personalizadas

BAHIA BBB 2024 CULTURA ECONOMIA ENTRETENIMENTO ESPORTES MUNICÍPIOS MÚSICA POLÍTICA