Jardins cheios de estilo cabem em pequenos espaços

Publicado sábado, 05 de outubro de 2019 às 13:32 h | Atualizado em 05/10/2019, 13:34 | Autor: Tainá Cristina* | Foto: Raul Spinassé | Ag. A TARDE

Para purificar o astral do ambiente, muitas pessoas têm o hábito de ter plantas dentro de casa. Mesmo nos pequenos imóveis é possível criar um jardim elegante e harmonioso. Cultivar plantas nos espaços internos da residência pode proporcionar um design sofisticado, sem gastar muito dinheiro, e até mesmo possibilitar economia de móveis, pinturas e revestimentos.

Seja na sala de estar, na cozinha, varanda, no quarto ou no banheiro, a coloração das plantas dentro de casa traz mais vivacidade, apenas com um toque de cor que todas as extremidades do lar merecem. Além disso, é primordial combinar plantas floridas e plantas sem flores. 

Para espaços internos, indicam-se espécies que só precisam de luz difusa, as mais adequadas são: filodendro, columeia, antúrio, samambaia, begônia, asplênio, suculentas e  calateia. A criação de um jardim dentro de casa leva em consideração medidas de vasos, dimensões, espécies de planta e extensões de ambientes. 

Para o paisagista Brandão Freire, além de deixar o ambiente mais bonito e aconchegante, as plantas têm o poder de nos reconectar com a natureza e a nossa essência. “Por meio da evapotranspiração, as plantas tornam ambientes mais úmidos, podendo reduzir índices de substâncias nocivas a nossa saúde, como poeira e até mesmo o formaldeído. Muitas vezes um pequeno espaço possui mais filtros e limitações que um grande espaço. Então analisar bem o que você vai utilizar é de extrema importância para o efeito pretendido e sobretudo para não investir recursos em algo que não dará certo”, ressaltou.  

Sistema construtivo

Ao ser questionado sobre a possibilidade de criação de jardins em lugares pequenos, Brandão Freire aponta que, ao contrário do que muitas pessoas imaginam, paisagismo não é somente colocar plantinha para o ambiente ficar bonito, e sim criar espaços para as pessoas utilizando plantas como sistema construtivo. Dessa forma, pode-se ter jardins em quase todos espaços para gerar as mais variadas sensações nas pessoas. E, para isso, um dos fatores mais importantes para se ter um belo jardim é  criar uma escala do projeto.

“O paisagista deve entender o efeito que deseja estabelecer no ambiente ao inserir uma determinada planta em um contexto. Dessa forma, seu porte de plantio enquanto muda e exemplar adulto devem ser levados em consideração para se alcançar o efeito plástico requerido. Lembrando que sempre construímos espaços para pessoas usando as plantas para gerar naquelas as sensações necessárias para se sentirem bem nesses ambientes. Ter plantas muito grandes que inviabilizam a circulação das pessoas ou uma quantidade muito acanhada que traga a sensação de que ela não pertença ao contexto não deverá  tornar um ambiente convidativo”, pontuou. 

Para quem deseja adotar plantas dentro de casa, é importante inserir no cotidiano os cuidados de manutenção para se ter uma planta saudável. Com isso, os locais internos geralmente têm um fotoperíodo mais reduzido que locais externos, dessa forma são mais utilizadas plantas de sombra e meia-sombra. E um dos erros mais comuns no cultivo da planta é imaginar que ela só precisa de água. Os três elementos básicos de cuidados são: luz, água e nutrientes. 

Os visitantes que chegam ao apartamento da paisagista Letícia Sabac se deparam com um ambiente agradável e relaxante. Com as mais variadas espécies de planta e cores, a ideia de inserir um jardim no espaço interno da casa e uma parede verde há um ano vem agradando a todos que chegam. Além disso, a paisagista salienta que a solução para ambientes pequenos são os jardins verticais e as paredes verdes. Para um bom custo-benefício, muitas pessoas adotam a técnica da irrigação por gotejamento. 

Paredes verdes

“Tem umas paredes verdes que são espetaculares para as pessoas que não têm espaço em casa. As paredes verdes abaixam a temperatura e trazem frescor para o ambiente. O espaço fica tão agradável que todas as visitas só querem ficar onde tem a parede verde, as plantas atraem muito. Outra sensação boa é ter uma árvore dentro de casa. As plantas se desenvolvem e não é nada caro e impossível de se ter. Hoje em dia, fazemos a irrigação por gotejamento, que é uma mangueira furada com gotinhas e  a planta nunca vai morrer por falta de água”, destacou Letícia Sabac.

“Algumas plantas precisam de luz indireta; outras precisam de luz intensa; mas todas precisam de luz para realizar fotossíntese, consequentemente produzir energia; sem água, não há o que se falar em vida, pois as plantas são compostas de 90% de água; e por fim, mas não menos importante, os nutrientes, que são os responsáveis por regularizar o metabolismo da planta. Se você não aduba suas plantas com a regularidade necessária, tenha a certeza de que ela não ficará bonita e saudável. Na decoração, a diferença entre o chique e o brega está em uma pedrinha colorida”, disse Brandão Freire. 

*Sob a supervisão da editora Cassandra Barteló 

Publicações relacionadas