Menu
Pesquisa
Pesquisa
Busca interna do iBahia
HOME > MUITO
Ouvir Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Facebook Compartilhar no X Compartilhar no Email
19/05/2024 às 9:23 - há XX semanas | Autor: Pedro Hijo

Bares e restaurantes nas coberturas de hotéis de Salvador

Redes têm investido em opções de lazer e gastronomia nesses espaços exclusivos

Há 90 anos, o Palace Hotel foi inaugurado em Salvador e, além do formato triangular de inspiração nova-iorquina e das instalações luxuosas que chamavam a atenção dos fazendeiros de cacau e da burguesia baiana, o prédio impressionava pela vista – essa, em nada parecida com as paisagens de Nova York.

Rodeado pela Baía de Todos-os-Santos, o terraço, assim como todo o hotel, decaiu de status na década de 1970 até ser fechado. Há sete anos, no entanto, o local reabriu como Fera Palace Hotel e a cobertura do edifício se tornou ainda mais imponente. E não foi apenas o entorno urbano que mudou em comparação à cobertura de 1934.

Uma piscina retangular de 25 metros forrada com azulejos portugueses, um restaurante de comida mediterrânea liderado pelo grupo Origem, e um conjunto de mesas, espreguiçadeiras e bangalôs compõem o novo terraço. O local, exclusivo para hóspedes, tem sido visitado não apenas pela elite baiana, mas por artistas internacionais, como Viola Davis e Angela Basset.

Frequentar “rooftops”, como ficaram conhecidas as coberturas como a do Fera Palace, são uma tendência nova-iorquina que dominou a capital paulista e tem se estabelecido em Salvador nos últimos anos. Além da cobertura do hotel na Rua Chile, os hotéis Fasano, Intercity, Canto e Gorges Residence seguiram o modelo.

Presidente da rede de hotéis do Fera Palace, Antonio Mazzafera diz que o terraço demandou um “esforço hercúleo” no reforço da estrutura do prédio. “Por ser um hotel de luxo com público majoritariamente classe A, pensamos no rooftop como um espaço para proporcionar descanso e conforto aos nossos hóspedes, aproveitando a vista belíssima da Baía de Todos-os-Santos”.

Coração financeiro

Na Avenida Tancredo Neves, para onde o centro comercial da cidade se mudou justamente na década de 1970, quando a Rua Chile perdeu força econômica, o hotel Intercity inaugurou um rooftop em agosto do ano passado. A paisagem do terraço, aberto também para não hóspedes, não é da beleza natural da Baía de Todos-os-Santos, mas do coração financeiro de Salvador.

“A nossa vista é 360º”, diz o gerente geral do Intercity de Salvador e coordenador do restaurante Rooftop.27, no 27º andar do hotel, Vinicio Bin. “Consigo enxergar Pernambués, toda a Avenida Paralela, o Farol de Itapuã, o Centro de Convenções Salvador e o Caminho das Árvores”, complementa. O local, diz Vinicio, tem 700 metros quadrados de área útil.

“Para criar o rooftop, levamos em consideração que a gente não queria uma coisa estática”, explica o coordenador do restaurante. De terça a domingo, a cobertura recebe clientes para almoço, happy hour e jantar. Mas, eventualmente, também é fechado para casamentos, aniversários, desfiles e até degustações de vinho.

Com um espaço aberto e outro climatizado, estrutura para restaurante e para eventos e abertura para hóspedes e público externo, o Rooftop.27, destaca Vinicio, é “versátil e moldável”. No local, cabem até 300 pessoas e há opção de apresentações de bandas e DJs. De acordo com o responsável pelo espaço, a frequência maior é de pessoas que não estão hospedadas no Intercity.

Vinicio conta que, desde a inauguração, a empresa tem investido na divulgação online. Uma particularidade dos restaurantes e bares em rooftops, ressalta ele, é que os clientes precisam descobrir o local, solicitar acesso ao prédio e subir para a cobertura pelo elevador. “Tem uma burocracia, porque não somos um bar de rua, que a pessoa estaciona, entra e acabou”, pontua.

Também aberto a não hóspedes, o rooftop do hotel Canto, no Rio Vermelho, tem vista para as praias do bairro. Instalada num casarão reformado, a hospedagem foi inaugurada há dois anos já com o terraço.

“A ideia era ser um ambiente convidativo tanto para hóspedes quanto para moradores, um local para relaxar e curtir o happy hour”, diz a gerente do hotel, Camila Tranquilli.

Segundo ela, a decoração intimista e elegante do espaço passou a atrair clientes interessados em organizar eventos no rooftop. Desde então, a cobertura do hotel já foi espaço para casamentos, formaturas, batizados, conferências e festas corporativas. Em shows, o local comporta até 110 pessoas.

No dia a dia, o terraço é aberto ao público externo a partir das 17h. Antes desse horário, é frequentado exclusivamente por hóspedes, que também aproveitam uma piscina de borda infinita voltada para os casarões do Rio Vermelho. Além do rooftop, o hotel tem um restaurante na altura da rua. Ambos possuem cardápio de cozinha mediterrânea e menu de vinhos e drinks.

Camila destaca ainda que o rooftop tem música ao vivo aos fins de semana e eventos em datas como Dia dos Namorados e Réveillon. “Para o próximo semestre, pretendemos ampliar o projeto Tons do Canto, em que mensalmente temos pocket shows para nossos hóspedes e clientes apreciarem o pôr do sol ouvindo uma boa música no fim de tarde”, diz a gerente.

Centro Histórico

Imagem ilustrativa da imagem Bares e restaurantes nas coberturas de hotéis de Salvador

No terraço do Fera Palace, o réveillon também está confirmado. Com espaço que comporta até 200 pessoas no modelo coquetel, o rooftop do prédio histórico se tornou um símbolo da revitalização da Rua Chile. “Já fizemos muitos investimentos no Centro Histórico de Salvador por acreditar no potencial dessa região. E continuaremos fazendo muito mais”, diz Antonio Mazzafera.

Empresa fundada por Antonio para projetos como a revitalização do antigo Palace Hotel, a Fera Investimentos também aposta em outros negócios na região. É o caso do estacionamento Premium Park, na Barroquinha, e o restauro do Palacete Tira-Chapéu, na Rua Chile. Este último será um espaço de arte, cultura e gastronomia e deve ser inaugurado ainda em 2024.

Antonio também investiu na reforma do hotel Gorges Residence, inaugurado no ano passado na Rua Chile. No topo do prédio, construído na década de 1950, foi instalado o bar e restaurante Atarah. Sócio do rooftop, o empresário Matheus Almeida conta que quer participar da revitalização do Centro Histórico: “Acreditamos e investimos nisso”.

Ele e o sócio, o empresário Felipe Pondé, avaliaram que há um esforço para recuperar a Rua Chile. “Estamos vivendo uma série de mudanças, não apenas da cidade, mas também das pessoas, de admiração à riqueza histórica”, destaca Matheus. “É um espaço para quem busca exclusividade e uma experiência mais intimista”, completa Felipe.

Com capacidade para 80 clientes, o Atarah tem dois andares, um climatizado e outro a céu aberto. “Isso nos garante versatilidade quanto às possibilidades de layout e produção”, afirma Felipe. Assim como os outros rooftops, a cobertura do Gorges Residence também recebe eventos, como casamentos e jantares corporativos.

Estratégia

Inaugurado no ano passado, o local, que tem vista para a Baía de Todos-os-Santos e para a Rua Chile, participa do Salvador Restaurant Week, que começou na quinta-feira, 16, e segue até o próximo mês. A estratégia é atrair o público que ainda não conhece o rooftop. Os sócios também já planejam o uso do espaço para festas de Réveillon e Carnaval.

Matheus explica que a inspiração para o Atarah foi a própria Bahia. No restaurante, os sócios tentaram unir a paisagem da cidade com sabores típicos do estado. O cardápio tem pratos com ingredientes regionais e drinks com nomes de locais de Salvador. Os sócios acrescentam que, mensalmente, o rooftop tem ações temáticas.

Assim como o Palace e o Gorges, o antigo prédio do jornal A TARDE, também na Rua Chile, ganhou um rooftop. O edifício, construído na década de 1930, se tornou o hotel Fasano Salvador e possui um terraço com bar, spa e piscina revestida de granito Azul Bahia. Durante toda a semana, o local é aberto aos hóspedes.

De quinta-feira a sábado, o rooftop do Fasano também recebe não hóspedes, a partir das 19h. Para os responsáveis pela administração do terraço do prédio, o diferencial do local é a vista, que contempla a Praça Castro Alves e a Baía de Todos-os-Santos. Em formato de coquetel, o rooftop comporta até 270 pessoas.

Apesar da limitação de horário para o público externo, a cobertura pode ser reservada para eventos sociais e corporativos. Ainda recebe festas em datas comemorativas, como Carnaval, Dia de Iemanjá e Réveillon. Nesses eventos, o hotel contrata apresentações de bandas e DJs, com foco na música baiana. As próximas comemorações serão no Dia dos Namorados e no São João.

Assuntos relacionados

gastronomia luxo Salvador Turismo

Compartilhe essa notícia com seus amigos

Compartilhar no Email Compartilhar no X Compartilhar no Facebook Compartilhar no Whatsapp

Tags:

gastronomia luxo Salvador Turismo

Repórter cidadão

Contribua para o portal com vídeos, áudios e textos sobre o que está acontecendo em seu bairro

ACESSAR

Assuntos relacionados

gastronomia luxo Salvador Turismo

Publicações Relacionadas

A tarde play
Play

Filme sobre o artista visual e cineasta Chico Liberato estreia

Play

A vitrine dos festivais de música para artistas baianos

Play

Estreia do A TARDE Talks dinamiza produções do A TARDE Play

Play

Rir ou não rir: como a pandemia afeta artistas que trabalham com o humor

x

Assine nossa newsletter e receba conteúdos especiais sobre a Bahia

Selecione abaixo temas de sua preferência e receba notificações personalizadas

BAHIA BBB 2024 CULTURA ECONOMIA ENTRETENIMENTO ESPORTES MUNICÍPIOS MÚSICA POLÍTICA