Em nova carta a Biden, senadores dos EUA culpam Bolsonaro por desmatamento

Publicado sexta-feira, 03 de dezembro de 2021 às 18:19 h | Atualizado em 03/12/2021, 18:30 | Autor: Da Redação

Em uma nova carta ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, um grupo de oito senadores americanos acusa o governo de Jair Bolsonaro (PL) de ser responsável pela destruição na Amazônia, com "uma epidemia de desmatamento e incêndios", e de colocar a democracia em risco.

A carta, à qual o jornal Folha de S. Paulo teve acesso, foi enviada na quarta-feira, 1, e é assinada por oito senadores democratas, incluindo Patrick Leahy, 81, que atua como presidente pro-tempore do Senado, responsável por comandar as sessões na ausência da presidente oficial da Casa, a vice-presidente Kamala Harris.

Os congressistas pedem que a oportunidade de indicar um novo embaixador americano para o Brasil seja usada para promover mudanças. "A nomeação deveria refletir uma clara reconfiguração ("clear reset", no original) da relação entre os dois países", apontam os democratas.

A representação dos EUA em Brasília está sem embaixador desde julho, quando Todd Chapman se aposentou. Atualmente, a embaixada é chefiada por Douglas Koneff. Não há data prevista para a indicação de um novo nome para o posto, que precisa ser aprovado pelo Senado americano.

"Escrevemos para expressar nossa profunda preocupação com a trajetória de queda da democracia, dos direitos humanos e da proteção ambiental no Brasil", começa a mensagem.

"Como uma distração para os problemas reais encarados pelo povo brasileiro, como a alta do desemprego, inflação e mais de 600 mil mortes por Covid, Bolsonaro lançou uma campanha de desinformação que busca atacar ativamente membros específicos do Supremo Tribunal Federal",  atalham os senadores.

Sobre as questões ambientais, o documento aponta que o líder brasileiro "tem promovido, de forma entusiasmada, políticas extremamente prejudiciais ao ambiente". "Territórios indígenas estão sob ataque de garimpeiros, de madeireiros e de projetos oficiais de infraestrutura, como estradas, barragens e ferrovias. Um pacote de novas leis defendidas por legisladores alinhados a Bolsonaro reduzirá a proteção a terras indígenas e a áreas de conservação", afirmam os congressistas.

Publicações relacionadas