EUA deportaram 580 crianças nascidas no Brasil para o Haiti

Informação da ONG Human Rights Watch tem base em dados coletados por agência da ONU para as migrações

Publicado quinta-feira, 24 de março de 2022 às 08:53 h | Atualizado em 24/03/2022, 12:27 | Autor: Da Redação
Em 2021, o Haiti sofreu terremoto e teve presidente assassinado
Em 2021, o Haiti sofreu terremoto e teve presidente assassinado -

Entre 19 de setembro de 2021 e 14 de fevereiro de 2022, 2.300 crianças nascidas fora dos Estados Unidos foram deportadas do país norte-americano, 580 delas são nascidas no Brasil e tiveram como destino o Haiti, apontou a ONG Human Rights Watch (HRW) com base em dados coletados pela Organização Internacional para as Migrações (OIM), agência da ONU para o tema.

As crianças nascidas no Brasil que foram deportadas dos Estados Unidos são filhas de pais haitianos que deixaram o país caribenho em busca de melhores condições de vida no país sul-americano, mas que enfrentaram no novo destino descriminação e desaceleração econômica em decorrência da covid-19.

O Chile foi outro país sul-americano que foi local de nascimento de grande quantidade de crianças deportadas dos Estados Unidos para o Haiti, com 1.600. No caso do país andino, as famílias haitianas encontraram também dificuldade de obter documentos legais, segundo relatório da HRW.

Publicações relacionadas