Operações em usina nuclear ucraniana são interrompidas | A TARDE
Atarde > Mundo

Operações em usina nuclear ucraniana são interrompidas

Unidade de energia foi desligada como “medida de segurança” por conta dos bombardeios ao redor da área

Publicado domingo, 11 de setembro de 2022 às 13:17 h | Autor: Da Redação
Zaporizhzhia é a maior usina da Europa e uma das 10 maiores do mundo em capacidade e em produção de energia
Zaporizhzhia é a maior usina da Europa e uma das 10 maiores do mundo em capacidade e em produção de energia -

A empresa nuclear estatal ucraniana Energoatom afirmou neste domingo, 11, que a usina de Zaporizhzhia, no sul da Ucrânia, foi “completamente fechada”. Durante a madrugada, a agência desligou a unidade de energia como “medida de segurança” por causa dos bombardeios ao redor da área em meio a guerra na Europa.

De acordo com a estatal, todas as linhas de transmissão que ligam a central nuclear à Ucrânia foram “danificadas devido ao bombardeio russo”.

A usina nuclear de Zaporizhzhia foi desconectada temporariamente no último dia 25 de agosto após incêndios próximos à região que interferiram com as linhas de energia. Foi a 1ª vez na história que a usina nuclear foi desligada.

No mesmo dia dos incêndios, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou que a Rússia colocou a Europa “a um passo” de um acidente nuclear.

Zaporizhzhia é a maior usina da Europa e uma das 10 maiores do mundo em capacidade e em produção de energia. A instalação foi capturada pelas forças russas em 4 de março, porém é administrada por ucranianos. Desde então, tem sido alvo de ataques, dos quais Rússia e Ucrânia trocam acusações sobre os bombardeios.

Em 1º de setembro, uma equipe da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) esteve na instalação da usina. De acordo com os representantes da agência, a integridade física da usina foi “violada várias vezes”.

Em agosto, Rafael Grossi, diretor-geral da AIEA, disse que as movimentações de guerra na usina traziam risco “muito real” de um incidente nuclear na Ucrânia. Em caso de um acidente na usina nuclear, além da Ucrânia, Alemanha, Polônia e Eslováquia poderão ser cobertas por material radioativo.

Publicações relacionadas