Tempestade Dennis causa inundações e perturbação nos transportes no Reino Unido

Publicado segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020 às 21:27 h | Atualizado em 17/02/2020, 21:29 | Autor: AFP

Algumas regiões do Reino Unido continuavam inundadas e os transportes terrestres ainda apresentavam problemas nesta segunda-feira, 17, um dia após a passagem da tempestade Dennis, que provocou a morte de uma mulher.

Centenas de alertas de inundação seguiam ativos, especialmente no sul de Gales, três deles com uma categoria "grave" no oeste da Inglaterra, de acordo com a Agência do Meio Ambiente (EA, na sigla em inglês).

Em algumas partes do país, o equivalente a um mês de chuva caiu em 48 horas.

Yvonne Booth, de 55 anos, foi encontrada morta nesta segunda, informou sua família. Ela foi arrastada pelas águas no domingo, perto de Tenbury (oeste da Inglaterra), e desde então era procurada pela Polícia.

"Amávamos muito Yvonne em nossa família e estamos devastados pela notícia", informaram seus familiares em um comunicado.

Em Gales, a polícia emitiu um apelo a testemunhas para tentar esclarecer as condições em que um homem de sessenta anos perdeu a vida. A princípio, sua morte foi relacionada à tempestade.

Segundo a polícia local, o homem foi visto entrando no rio Tawe, em Ystradgynlais, na manhã de domingo. Finalmente, sua morte não foi considerada suspeita ou ligada às condições climáticas, de acordo com a mesma fonte.

Além disso, o país registrou o "maior número de alertas contra inundações", um número sem precedentes, segundo a EA, com um total de 594 em uma área que vai do sul da Escócia até a Cornualha (sudoeste da Inglaterra).

Na França, também afetada pelo mau tempo, cerca de 20.000 casas ainda estavam sem energia no noroeste nesta segunda-feira de manhã.

Alerta vermelho

O serviço meteorológico britânico (MET) emitiu um alerta vermelho no domingo em Gales do Sul devido às fortes chuvas provocadas pela tempestade Dennis. A última vez que esse tipo de alerta de chuva foi dado foi em dezembro de 2015.

Esse nível é o mais elevado e é equivalente a "condições climáticas perigosas" que apresentam "risco de morte", riscos de perturbações no suprimento de energia e danos à infraestrutura.

Centenas de voos com destino ou saída do Reino Unido precisaram ser cancelados, anunciaram as companhias British Airways e EasyJet, mas a situação começava a voltar ao normal nesta segunda-feira.

A circulação dos trens, por outro lado, continua perturbada em alguns lugares e a estação central de Rotherham (nordeste) foi fechada até terça-feira em razão de uma inundação.

A polícia de Brighton anunciou que procura uma mulher de vinte anos que foi vista entrando no mar no domingo às 02h45.

O ministro da Defesa enviou o exército para ajudar a população de West Yorkshire, uma área do norte da Inglaterra que ainda lida com os estragos provocados pelas inundações da tempestade Ciara alguns dias atrás.

"A tempestade vai continuar e a água atingirá seu nível máximo na segunda e na terça-feira", alertou a Cruz Vermelha, que pediu à população para "se preparar para o pior".

Publicações relacionadas