Editorial - Intemperança

Publicado sábado, 06 de agosto de 2022 às 00:00 h | Atualizado em 05/08/2022, 23:46 | Autor: Da Redação
Tema se torna problemático ao envolver um aspirante a governador a rejeitar o valor da igualdade, um dos pilares da democracia
Tema se torna problemático ao envolver um aspirante a governador a rejeitar o valor da igualdade, um dos pilares da democracia -

Age com intemperança todo aquele incapaz de reagir com equilíbrio a contextos contrários a seus interesses pessoais, talvez por excesso de mimo, agravando-se esta dificuldade quando trata-se de candidato a cargo eletivo.

Mais problemático torna-se este tema do dia por envolver um aspirante a governador a rejeitar o valor da igualdade, um dos pilares da democracia, da qual depende o trato respeitoso com todos os jornais e demais meios de comunicação, sem exceção.

Um veículo não duraria três ou quatro dias, quanto mais 110 anos, se não cultivasse a aversão à mentira, qualidade de quem preza a virtude de publicar informações confiáveis.

Seria necessário e não contingente posicionar-se, o postulante ao Palácio de Ondina, acerca dos números de pesquisa divulgada por A TARDE, jornal de maior idade no estado, cuja confiabilidade não pode ser desafiada.

É compreensível o avario provisório da sã consciência do irritadiço político, mas não se pode aceitar a negativa, exceto se partisse de um membro da nobreza deposta no Brasil em 1889.

Agride o "príncipe" a todas as redações, nas diversas modalidades e gêneros, quando atinge frontalmente ao decano desta atividade, orgulho de todos quantos consideram o jornalismo aspecto inseparável do processo civilizatório.

De um viés lógico, deve considerar-se a parte componente do todo, logo, o conjunto dos mass-media sofre o golpe precipitado da funda do pequenino algoz.

A indisposição abalroa a sociedade, pois a ela serve a reportagem, merecendo a atenção da Associação Bahiana de Imprensa e órgãos da sociedade civil o novo calundu inapropriado.

O gesto de menor estatura fez descer do muro quem simpatiza com o cerceamento do debate, ao semear futuro “cercadinho” estadual, em indício claro de identificação com Jair Bolsonaro, embora negue o chamego ideológico.

Poderia evitar desfaçatez, quem já controla parte da Imprensa, por herança, embora trame com desafetos do próprio avô, agindo no sentido de calar a pluralidade, ao recusar seu dever de manifestar seu pensamento.

Publicações relacionadas