Editorial - Salvador, saúde e paz!

Publicado terça-feira, 29 de março de 2022 às 00:01 h | Atualizado em 29/03/2022, 00:59 | Autor: Da Redação
São as pessoas as responsáveis por reinventar o perfil 
da polis capaz de agradecer as bênçãos de uma  ancestralidade
São as pessoas as responsáveis por reinventar o perfil da polis capaz de agradecer as bênçãos de uma ancestralidade -

A escolha pelo local onde foram erguidas as primeiras edificações de Salvador, visando sua fundação, em 1549, pode ser avaliada como estratégica, na intenção de doar sentido de fortaleza medieval, em contexto de afirmação da conquista lusitana.

Hoje, na data definida por historiadores, a fim de celebrar seu aniversário, trata-se de momento oportuno para os soteropolitanos adquirirem consciência deles mesmos, dada a importância de primeira capital e referência para a civilização brasileira.

Aparece o município como objeto de admiração para moradores e turistas: seria temer errar qual dos dois grupos identifica mais predicações, em meio a belezas, curiosidades, misturas culturais as mais variadas e admirável multirreligiosidade.

Livres de dogmas arcaicos, como o de uma suposta natureza essencial, são as pessoas as responsáveis, cada qual em sua perspectiva, por reinventar continuamente o perfil da polis capaz de agradecer as bênçãos de uma monumental ancestralidade.

Em oferendas à justiça e à concórdia, os descendentes dos escravizados resistem aos jogos de poder, envolvendo interesses mesquinhos, recuperando na contemporaneidade o vigor do axé importado involuntariamente pelos navios negreiros.

Em superposição de riquezas peculiares, em séculos de diversidade, muito anteriores às caravelas, é possível ombrear, em análise qualitativa, a primeira capital a outras antigas metrópoles mundiais, tomando por pressuposto o intenso fluxo de trocas.

Embora uma régua de virtudes ainda esteja por ser inventada para servir à boa vontade de quem julga, é possível resgatar aos tupinambá e outras nações o direito de ter reconhecida sua presença nos genes e nos hábitos dos seus herdeiros.

O legado da Kirimurê indígena original inspira os atuais guerreiros em defesa dos bens intermediários à felicidade, como saúde, paz, segurança e desenvolvimento, causas eficientes de um compreensível orgulho de dizer-se nascido e criado na Boa Terra, vocacionada igualmente para festas e levantes populares.

Publicações relacionadas