adblock ativo

Tempo presente: Retrocesso na reforma

Publicado quinta-feira, 06 de dezembro de 2012 às 16:04 h | Atualizado em 06/12/2012, 16:05 | Autor: Levi Vasconcelos*
adblock ativo

Retrocesso na reforma

Dizem que a lua de mel do político com o poder é entre a vitória e a posse. Beijos e abraços, 'meus parabéns' para lá e para cá, tudo esperança, alguns de ver as ansiedades coletivas satisfeitas, outros de ver a vida pessoal resolvida, desgaste zero.

Se assim o é, a de ACM Neto acabou, pelo menos com os jornalistas. Bateu mal o anúncio da extinção da Secretaria de Comunicação Social, consensualmente, um retrocesso.
E por que só Salvador? São Paulo tem, o Rio tem, Belo Horizonte tem, Curitiba tem, Porto Alegre tem, Recife tem.

Talvez a reedição de um modelo carlista. Enquanto ACM mandou, direta ou indiretamente, o governo baiano nunca teve. Passou a ter agora com Jaques Wagner. A Agecom era uma agência subalterna à Casa Civil.

O jornalista Tasso Franco, que nos oito anos de Imbassahy foi o secretário, diz que o assessor será uma 'Rainha Elisabeth' (aquela que reina, mas não governa). E fala: 'Só um louco vai aceitar um cargo desses. Sem apito, sem a verba publicitária, sem poder, vai funcionar apenas com um assessor de imprensa'.

Em suma, como atrativo curricular para jornalista, só serve para jovem atirado ou velho desempregado. O Sindicato dos Jornalistas pediu a Neto que reveja o caso.
Com Dilma —O encontro entre ACM Neto e a presidente Dilma vai acontecer hoje à tarde (15h30). Foi intermediado pelo governador Jaques Wagner, que já está em Brasília e ontem convocou Neto às pressas.

Por conta disso, o workshop  Desafios da Nova Salvador que os empresários da Lide-Bahia fariam hoje com Neto no Hotel Caesar Business foi adiado para o dia 10 (19h).

Esperando o sinal —A Arquidiocese de Salvador está ansiosa para conhecer as políticas que ACM Neto pretende implementar na área social. Tem preocupações com moradores de rua, especialmente crianças, e também com a saúde pública, tema da Campanha da Fraternidade deste ano.
Uma autoridade do alto escalão diz estar esperando 'o sinal' do prefeito eleito.
 

Inferno astral

Depois de ter festejado a vitória da esposa, a deputada Cláudia Oliveira (PSD), na eleição de Porto Seguro, o prefeito de Eunápolis, Robério Oliveira, entrou em inferno astral. Semana passada foi condenado pelo TJ a três anos e três meses de cadeia acusado de propaganda autopromocional. Anteontem, a 2ª Câmara Criminal do TJ o afastou do mandato sob acusação de ter manipulado uma licitação.

Fala a defesa —O advogado de Robério, Milton Jordão diz estranhar a decisão:
— O TJ não esperou nem a publicação para dar eficácia à decisão. E também o prefeito de Alcobaça, Leonardo Brito, é acusado no caso, que é de 2006, e não foi afastado. Há algo nessa história que não conseguimos entender.

Cintra sai de cena

O mandato do desembargador Carlos Cintra no TRE, onde é o vice-presidente, expira hoje. Simultaneamente, ele pediu dois meses de licença especial, janeiro e fevereiro.
Volta em março só para administrar os últimos dias até a aposentadoria, em abril.
Carlos Cintra, o homem que tirou o Judiciário baiano do jugo de ACM no início da década passada, sai de cena, mas continuará ativo. E dá até um palpite sobre a sucessão do amigo e aliado Mário Alberto Hirs na presidência do TB da Bahia, em dezembro:
— Na presidência deverá estar uma mulher. Está entre Vera Lúcia e Lícia Laranjeira.


Niemeyer, o recado

Comunista convicto e agnóstico confesso, perguntaram ao arquiteto Oscar Niemeyer quais as expectativas dele sobre a vida:
— A vida é assim. Cada um vem, dá o seu recado e vai embora.


  • Sobre a nota SOS Elevador, ontem publicada, a Prefeitura de Salvador anuncia que ainda este mês o Elevador Lacerda vai ganhar duas novas cabines com refrigeração total, mais velocidade e segurança. A partir daí, as duas outras cabines entrarão em fase de recuperação. Em síntese, na festa da Conceição, sábado, vai restar o micro-ônibus.
  • Newton Lima (PT), prefeito de Ilhéus, definitivamente desceu a ladeira. Ainda tenta, aos trancos e barrancos, pagar o salário de outubro, um desgaste político pleno. E ontem o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) rejeitou pela quinta vez, o que o torna sério candidato a ficha suja total.
  • O TRE avisa: o prazo para quem não votou no primeiro turno (7 de outubro) se justificar na Justiça  sem pagar multa acaba hoje.

*coluna veiculada diariamente no jornal A TARDE

adblock ativo

Publicações relacionadas