adblock ativo

Ademário Costa é candidato à Secretaria de Combate ao Racismo do PT-BA

Publicado às | Atualizado em 13/09/2021, 11:56 | Autor: Da Redação
Soteropolitano, Ademário é cientista social negro, oriundo das lutas da periferias da capital, e militante do Movimento Negro Unificado (MNU) | Foto: Divulgação | PT Salvador
Soteropolitano, Ademário é cientista social negro, oriundo das lutas da periferias da capital, e militante do Movimento Negro Unificado (MNU) | Foto: Divulgação | PT Salvador -
adblock ativo

O atual presidente do PT Salvador, Ademário Costa, é candidato ao cargo de secretário de Combate ao Racismo do PT Bahia. Sua candidatura, que será lançada no próximo sábado, 18, tem como base, de acordo com a assessoria do PT, "sua longa trajetória de luta contra o racismo em Salvador, na Bahia e no Brasil".

Ademário nasceu em Salvador, é cientista social negro, oriundo das lutas da periferias da capital, e militante do Movimento Negro Unificado (MNU), e desde 2019 atua como presidente municipal do PT.

Segundo nota do PT, "o dirigente pretende continuar esse enfretamento ao racismo estrutural na Bahia, principalmente diante da atual conjuntura nacional, marcada por ataques à democracia, aumento da violência racial, com extermínio de negros, perseguição aos povos indígenas, fome e desemprego".

“Escolho continuar lutando contra o racismo, afrontar o sistema e colocar em choque as estruturas partidárias ainda arraigadas pelo racismo. Precisamos avançar para um programa antirracista, anticapitalista e socialista. E o PT tem um papel estratégico, sob a direção do socialismo abolicionista, como instrumento de luta do povo negro, além disso, há a tarefa de aquilombar o PT. Meu objetivo é ampliar e fortalecer essas trincheiras de luta”, declarou o petista.

Enquanto presidente do PT SALVADOR, continua a nota, "Ademário tem se destacado como expoente da luta contra o racismo na capital, defendendo a paridade racial nos espaços de poder e decisão política para promover a justiça e empoderamento do povo negro, através de políticas públicas de inclusão e reparação social".

“Bahia é o estado amis negro fora da África, berço e centro desse debate, e historicamente o que vive por mais tempo as desigualdades sociais oriundas do racismo, portanto é de onde deve nascer a proposta de justiça racial nos espaços de decisão e de construção política do próximo governo do PT, de Lula, e toda a esquerda brasileira”, disse.

Ainda sobre a equidade racial, Ademário acredita que é necessário uma reforma eleitoral, partindo do aumento no número de negros nos cargos internos dos partidos, como o PT. “É central para nós a paridade racial nas cadeiras parlamentares das casas legislativas e nas direções partidárias, na divisão do tempo de TV do horário gratuito da propaganda partidária, políticas públicas de combate ao racismo, a nova política de drogas e o abolicionismo penal. Para isso, precisamos que as Secretarias de Combate ao Racismo sejam poderosos mecanismos de organização do povo negro unido e forte para dar um choque no sistema. O PT precisa garantir essa transformação interna e externa”, ressaltou.

Para essa mudança, Ademário defende um conjunto de políticas públicas, que tem como prioridade o empoderamento das mulheres negras, ações nas áreas de educação, assistência social, segurança e política de drogas para assegurar justiça racial. “Precisamos garantir a permanência dos jovens negros nas universidades; a retirada da população negra da vulnerabilidade social; uma nova política de drogas, que foque na prevenção; a desmilitarização da polícia, evitando as mortes de negros pelo Estado, e a inclusão social e profissional das mulheres negras. Esses são pilares fundamentais para uma mudança efetiva na sociedade brasileira, rompendo com a herança do racismo, e isso se faz com políticas públicas”, completou o candidato.

Trajetória

Ademário nasceu e cresceu em São Cristóvão, sexto bairro com a maior população de negros em Salvador, cerca de 84%. Aprendeu na comunidade e em casa sobre participação política e cidadania. É cientista social e político, formado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Sua trajetória política no combate ao Racismo começou no movimento estudantil, compondo a direção do Grêmio da Escola Técnica (atual IFBA), em seguida a direção da Central dos Estudantes (DCE) da UFBA, e como diretor de Combate ao Racismo e foi o primeiro petista negro vice-presidente na União Nacional dos Estudantes (UNE). Foi um dos formadores do Coletivo Negros e Negras das Universidades da Bahia.

Ademário é um dos fundadores da corrente interna Avante do PT. Foi vice-presidente do PT da Bahia, secretário de Finanças do partido no Estado e integrou a direção nacional Da sigla. Trabalhou no mandato de então vereador de Salvador Rui Costa, hoje governador da Bahia, e coordenou a juventude do mandato do então deputado federal Jaques Wagner. Também foi chefe de gabinete do deputado federal Jorge Solla (PT-BA) e ex-coordenador dos mandatos de deputado estadual de Marcelino Galo e Yulo Oiticica, ambos do PT.

adblock ativo

Publicações relacionadas