Bahia pode ser “Arábia Saudita” da energia limpa, diz secretário | A TARDE
Atarde > Política > Bahia

Bahia pode ser “Arábia Saudita” da energia limpa, diz secretário

Angelo Almeida abriu Workshop Bahia Estado Sede do Refino Verde no Mundo

Publicado segunda-feira, 10 de junho de 2024 às 13:51 h | Autor: Flávia Requião e Lula Bonfim
Angelo Almeida aposta no potencial da Bahia para se tornar referência mundial em produção de hidrogênio verde
Angelo Almeida aposta no potencial da Bahia para se tornar referência mundial em produção de hidrogênio verde -

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Angelo Almeida (PSB), declarou na manhã desta segunda-feira, 10, que a Bahia possui potencial para ser uma espécie de “nova Arábia Saudita” no setor energético, se tornando uma referência mundial na produção de energia limpa.

O comentário de Angelo Almeida ocorreu após sua participação no Workshop Bahia Estado Sede do Refino Verde no Mundo, realizado nesta segunda, em Salvador. Segundo ele, é uma sinalização para que os setores público e privados enxerguem no estado uma possibilidade de investimento em economia verde.

“Nós trouxemos esse Workshop Bahia Estado Sede do Refino Verde no Mundo, com a convergência de instituições privadas, públicas, pesquisa acadêmica, para que a gente possa justamente colocar na mesa das nossas autoridades nacionais a oportunidade de dizer a Petrobras que ela precisa assumir um papel fundamental para o fortalecimento dessa nova cadeia, essa nova matriz energética mundial, que é a perspectiva do hidrogênio verde na Bahia, tendo a Bahia como sede dessa refinaria verde. A economia verde vai dominar a economia mundial”, afirmou Almeida.

“A economia verde está na iminência de ganhar o mundo, a partir do que estão fazendo em outros países. E nós estamos fazendo muito pouco até aqui. A Bahia tem todos os suprimentos necessários para a construção do hidrogênio verde mais barato do mundo”, acrescentou.

O titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) ainda comparou a situação à de um shopping center. Segundo ele, as condições para que o planejado seja realizado são parecidas.

“Vamos comparar, então, isso a um shopping center. Para esse shopping center da economia verde funcionar, para vender e produzir derivados do hidrogênio verde, para abastecer a cadeia mundial, ele precisa de duas coisas fundamentais. Primeiro, quem forneça. Nós temos aqui o suprimento da energia barata, limpa, segura e abundante na Bahia, que é o híbrido da solar com eólica”, explicou.

“Segundo, nós temos a segunda melhor Bahia abrigada do mundo, que é a Baía de Todos-os-Santos, que é o ‘no parking, no business’ — se não tem estacionamento, não tem negócio. E o fundamental é que nós temos o complexo químico de Camaçari, que tem tudo a ver com o hidrogênio verde, que nada mais é do que um processo químico, de química. Dito tudo isso, a gente quer que a Petrobras venha a ser essa loja âncora, porque não existe shopping, não existe negócio, se não tiver lojas âncoras, para serem a coluna vertebral desse processo”, complementou Almeida.

De acordo com o secretário, a Petrobras pode e deve ser uma parceira da Bahia nessa área, assim como foi nos anos 1950, quando a empresa estatal foi fundada e começou sua operação no estado.

“O que é que os representantes de empresas estão fazendo aqui? Vieram para dizer à Petrobras: pode vir para a Bahia, pode confiar, como confiaram há mais de 70 anos. Chegaram aqui pessoas para criar a Petrobras, a primeira refinaria de petróleo no Brasil foi aqui. Como há 40 anos, nossos antepassados também chegaram aqui para criar o Complexo Químico de Camaçari”, apontou Almeida.

“Vamos acreditar, mais uma vez, no potencial que a Bahia tem, porque nós temos tudo para sermos, sim, a Arábia Saudita do século XXI para o XXII com a geração de energia limpa e trabalhando com o complexo ambiental e com a necessidade que a humanidade tem de termos geração de energia limpa, economia verde, funcionando no mundo inteiro”, concluiu.

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS