Luiz Caetano diz que 'não vê motivo' para servidores fazerem greve | A TARDE
Atarde > Política > Bahia

Luiz Caetano diz que 'não vê motivo' para servidores fazerem greve

Servidores aprovam indicativo de paralisação das atividades na Bahia

Publicado quinta-feira, 18 de maio de 2023 às 11:59 h | Autor: Lucas Franco e Eduardo Dias
Secretário de Relações Institucionais, Luiz Caetano
Secretário de Relações Institucionais, Luiz Caetano -

Um dia após os sindicatos do funcionalismo público baiano aprovarem que os servidores estaduais irão paralisar as atividades no mês de junho, contra a proposta do Governo Estadual de reajuste linear de 4%, nos vencimentos da categoria, o secretário de Relações Institucionais, Luiz Caetano, afirmou que “não vê” motivo para a paralisação. 

Os sindicatos reivindicam abertura, em caráter emergencial, de uma mesa de negociação por reajuste salarial da categoria, com cobrança da reposição das perdas salariais de 53,3% acumuladas ao longo dos últimos 8 anos. 

“Na minha opinião, há um momento que o servidor quer sempre mais, é natural, mas conversamos com todos os sindicatos, com associações, por duas ou três vezes, todos estão sabendo. Obviamente, há algumas pessoas que estão colocando informações equivocadas, fakes, e estamos abertos a conversas, esclarecendo e penso que não tem motivo para fazer greve, a não ser que seja uma coisa mais localizada. As conversas foram muito transparentes”, afirmou Caetano, destacando a reformulação que o governador determinou no funcionalismo público estadual.    

Fiquei no governo Rui um ano e pouco, estamos no governo Jerônimo, conheço o trabalho que foi feito até agora e o que o governador fez até agora foi inédito. No início do governo ele dá um reajuste linear de 4% para ativos e inativos, retroativos a fevereiro. É uma reestruturação da Polícia Militar, Civil, criando a Polícia Penal, oportunidade das vagas para coronel, tenente-coronel, trabalhando não só os oficiais, novos batalhões e companhias Luiz Caetano, secretário de Relações Institucionais
  

“Eu sei que foi uma reestruturação muito grande, não só na segurança pública, mas na educação, no conjunto do funcionalismo. Eu não conheço, nos últimos anos, um investimento tão grande no início do ano como o governo fez”, pontuou o secretário.

Publicações relacionadas