Bia Kicis quer aprovar voto impresso na Câmara no início de julho

Publicado terça-feira, 15 de junho de 2021 às 20:22 h | Atualizado em 15/06/2021, 20:26 | Autor: Da Redação

A deputada Bia Kicis (PSL-DF), também presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara  Federal(CCJ), afirmou, na segunda-feira, 14, que o voto impresso auditável deverá conseguir votos suficientes para ser aprovado até a primeira quinzena de julho na Câmara dos Deputados.

“A nossa data no plenário será no início de julho. Tive reunião com o relator e o presidente da comissão [especial que trata sobre o assunto]. Até o finalzinho de junho, início de julho votaremos na comissão especial. No plenário, na 1ª quinzena, antes do recesso. Depois, a proposta irá para o Senado”, afirmou, segundo informações do Poder360.

Kicis, que é aliada do presidente Jair Bolsonaro, disse que falta transparência no sistema eleitoral brasileiro, problema que seria resolvido, segundo ela, com o voto impresso.

“Se você não consegue convencer o perdedor de que ele perdeu, é porque você não tem mecanismo suficiente de convencimento. Falta o que? Falta transparência. Quando há transparência, o perdedor não tem do que reclamar, porque se ele reclamar, estão aqui as provas”, declarou.

A proposta de voto impresso não tem sido bem recebida. Em 20 anos, as três leis que estabeleciam o voto impresso acabaram sendo derrubadas. Ela contestou uma argumentação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de que, se a PEC for aprovada, pode não haver tempo suficiente para ser implementada para as eleições de 2022.

“Não acredito que não dê tempo [para implementar o voto impresso para 2022. A Justiça Eleitoral diz que não dá tempo há 20 anos. Eu não sei qual é o tempo que eles precisam para colocar uma impressora acoplada a uma urna”, afirmou.

Publicações relacionadas