Freixo acusa deputado bolsonarista de interromper ato na Tijuca

Rodrigo Amorim (PTB) nega acusação e diz que foi ofendido por apoiadores do pré-candidato a governador

Publicado sábado, 16 de julho de 2022 às 19:03 h | Atualizado em 16/07/2022, 19:03 | Autor: Da Redação
Rodrigo Amorim com homens armados em ato de Freixo no Rio
Rodrigo Amorim com homens armados em ato de Freixo no Rio -

Apoiadores o deputado federal Marcelo Freixo (PSB), pré-candidato ao Governo do Rio de Janeiro, afirmam que tiveram uma caminhada interrompida por partidários do deputado estadual Rodrigo Amorim (PTB) na Praça Saens Peña, na Tijuca, na Zona Norte do Rio, na manhã deste sábado, 16. Amorim, por outro lado, afirma que foi ofendido pelas pessoas que acompanhavam Freixo.

Em um vídeo divulgado pela assessoria de Freixo, o deputado federal lamentou o episódio, disse ainda que a política não pode oferecer violência e que encaminhou o caso para a Justiça Eleitoral.

“Fomos surpreendidos por um deputado ligado ao governador Claudio Castro e ao presidente Jair Bolsonaro. Ele estava acompanhado de dez marginais armados, que foram para cima das pessoas, crianças, mulheres, idosos, com muita violência, ameaçando e dizendo que ali não era lugar para que a gente estivesse”, contou o pré-candidato.

“É lamentável que isso tenha acontecido. Encaminhamos todos os boletins de ocorrência para a Justiça Eleitoral e temos certeza que as medidas corretas serão tomadas, por um Rio de união e de diálogo”, acrescentou.

 

 

Amorim rebateu a acusação, a qual chamou de "mimimi”.

"Obviamente que eles começaram o mimimi de sempre, dizendo que eu era o agressor, porque eles só sabem isso: se vitimizar, cavar pênalti, cair dando gritinhos", afirmou Amorim por meio de seu perfil no Twiter.

O parlamentar acusou os apoiadores de Freixo de trem iniciado a confusão dirigindo ofensas a ele as pessoas que o acompanhavam. "O que eu fiz foi responder no mesmo tom”.

Amorim informou ainda que registrou crime contra a honra na Polícia Civil e queixa de propaganda antecipada ilegal no Ministério Público Eleitoral.

Publicações relacionadas