adblock ativo

Grupo de médicos vai ao CFM contra ministro da Saúde

Profissionais pedem a abertura de um processo ético-profissional contra Marcelo Queiroga

Publicado quinta-feira, 06 de janeiro de 2022 às 20:47 h | Atualizado em 06/01/2022, 20:47 | Autor: Da Redação
Grupo acusa Queiroga de "infrações éticas graves no exercício da medicina"
Grupo acusa Queiroga de "infrações éticas graves no exercício da medicina" -
adblock ativo

Em documento enviado ao Conselho Federal de Medicina (CFM), um grupo de médicos pede a abertura de um processo ético-profissional contra o ministro de Saúde, Marcelo Queiroga, por "infrações éticas graves no exercício da medicina" no cargo que atualmente exerce. Os autores afirmam que "a representação de denúncia se fundamenta na interpretação do Código de Processo Ético Profissional da Medicina".

A iniciativa é de um grupo de secretários municipais de Saúde que já comandaram o Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo (Cosems/SP).

Os profissionais acusam Queiroga de não tomar as medidas cabíveis para a rápida vacinação de crianças, com o pretexto de ouvir a opinião de especialistas. "A vacinação desta parcela significativa da população viria em hora apropriada, face ao risco que neste momento representa a emergência da variante ômicron, e também em função do retorno das aulas", diz o documento.

Ainda de acordo com o texto, ao fazer inicialmente alegações relativas à segurança da vacina, Queiroga usou uma "inverdade que contraria absolutamente ao que se observou em milhões de doses desta vacina já aplicadas nessa faixa etária em outros países, inclusive nos EUA e países da Europa".

Para os autores do documento, "essa posição do ministro da Saúde está incoerente com sua obrigação ética como médico de utilizar o melhor do conhecimento e da ciência para beneficiar o indivíduo e a sociedade".

adblock ativo

Publicações relacionadas