Lula sai em solidariedade de Vini Jr. após novo caso de racismo | A TARDE
Atarde > Política > Brasil

Lula sai em solidariedade de Vini Jr. após novo caso de racismo

Torcida do Atlético de Madrid entoou cânticos racistas contra Vini Jr. antes de jogo na Champions

Publicado quinta-feira, 14 de março de 2024 às 19:59 h | Autor: Lula Bonfim
Lula voltou a repudiar ataques racistas dirigidos a Vini Jr. na Espanha
Lula voltou a repudiar ataques racistas dirigidos a Vini Jr. na Espanha -

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) saiu em defesa, na noite desta quinta-feira, 14, do jogador brasileiro Vini Jr., do Real Madrid, após o atleta sofrer novos ataques racistas da torcida do Atlético de Madrid, rival local de sua equipe.

O caso ocorreu na quarta, 13, antes do jogo do Atlético contra a Internazionale pela UEFA Champions League. Os torcedores da equipe espanhola entoaram o cântico “alé, alé, alé, Vinícius chimpanzé”, em uma clássica comparação de pessoas negras a macacos.

Em publicação nas redes sociais, Vini Jr. compartilhou o vídeo dos racistas e pediu à UEFA, confederação que organiza a Champions League, punição aos torcedores do Atlético envolvidos no caso.

“Espero que vocês já tenham pensado na punição deles”, disse Vini. “É uma triste realidade que passa até nos jogos que eu não estou presente”, exclamou o jogador brasileiro.

Lula, então, compartilhou a reclamação de Vinícius e declarou solidariedade ao jogador, ressaltando a qualidade dele em campo e repudiando o comportamento racista dos torcedores do Atlético.

“É inacreditável que na segunda década do século 21 ainda exista um comportamento desse tipo. Toda a nossa solidariedade ao Vini Jr. Ele merece todo respeito e admiração pelo seu talento e competência, não essas manifestações de barbárie racista”, publicou Lula.

Esta não foi a primeira vez que Lula se mostrou indignado com os ataques racistas a Vinícius. Em maio de 2023, o presidente brasileiro chegou a notificar as autoridades espanholas, pedindo punição para os agressores do jogador.

Um mês depois, em junho do mesmo ano, Lula usou uma reunião do Conselho de Direitos Humanos da ONU para denunciar os atos racistas contra Vini Jr., pedindo que medidas fossem tomadas contra os responsáveis pelos ataques.

Publicações relacionadas