Moro critica Gilmar Mendes após insinuar venda de habeas corpus | A TARDE
Atarde > Política > Brasil

Moro critica Gilmar Mendes após insinuar venda de habeas corpus

Senador afirmou que ministro fez 'ofensas gratuitas' a ele

Publicado quarta-feira, 26 de abril de 2023 às 11:20 h | Autor: Da Redação
Moro também não demonstrou arrependimento com a insinuação contra o ministro do STF
Moro também não demonstrou arrependimento com a insinuação contra o ministro do STF -

O senador Sergio Moro (União Brasil-PR) voltou a criticar o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, alegando que o magistrado fez "ofensas gratuitas" contra ele. O embate acontece após viralizar um vídeo em que o ex-juiz da Lava Jato insinua que Mendes vende habeas corpus

"Eu não tenho ofendido ninguém, eu tenho grande respeito pelo Supremo Tribunal Federal pelos ministros embora eu também tenha a minha liberdade de crítica como qualquer outra pessoa assim como elogio decisões também as crítico e me surpreendi quando ele veio aqui inclusive e deu declarações ofensivas em relação a minha pessoa", disse Moro em entrevista ao podcast Amarelas On Air, da revista Veja.

>> Moro busca apoios para evitar condenação e perda de mandato

O senador se refere a uma entrevista de Gilmar Mendes em que o ministro afirmou que uma das maiores contribuições do antigo governo de Jair Bolsonaro (PL) teria sido tirar Moro da 13ª Vara Federal de Curitiba.

Moro também não demonstrou arrependimento com a insinuação contra o ministro do STF, negando se tratar de uma calúnia e apontando apenas como uma "brincadeira infeliz". O senador disse que eventualmente poderia se desculpar.

"Eu dei uma declaração infeliz. A gente pode, eventualmente, se desculpar é por ter dado uma declaração infeliz. Mas não se desculpar por ter caluniado ninguém. Porque eu não caluniei ninguém", afirmou.

Pedido de prisão

Por conta da declaração de Moro, a Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou o senador ao Supremo Tribunal Federal (STF). No documento, a vice-procuradora Lindôra Maria Araujo afirmou que Moro estava “ciente da inveracidade de suas palavras” e pede que o senador seja condenado à prisão.

Moro está sendo acusado de calúnia e, caso a pena seja superior a quatro anos, pode perder o mandato como senador federal. A pena pelo crime de calúnia é de detenção de seis meses a dois anos, além de multa.

Em seguida, Moro rebateu a denúncia da PGR e o afirmou que pessoas que ele desconhece, “mas mal intencionadas, editaram fragmentos de uma fala, tiraram essas falas de contexto e publicaram na internet”. Diz ainda que a fala foi feita em um contexto de brincadeira e não representa o que ele pensa. No pronunciamento à imprensa, o parlamentar se disse indignado com a posição da PGR. 

Publicações relacionadas