Polícia Federal instaura inquérito para apurar repasses do MEC

CGU encaminhou o resultado de uma sindicância interna que apontou supostas fraudes na distribuição de verbas

Publicado sexta-feira, 25 de março de 2022 às 14:37 h | Atualizado em 25/03/2022, 14:53 | Autor: Da Redação
Crise na pasta foi deflagrada a partir de áudio do ministro Milton Ribeiro
Crise na pasta foi deflagrada a partir de áudio do ministro Milton Ribeiro -

A pedido da Controladoria-Geral da União (CGU), a Polícia Federal abriu nesta sexta-feira, 25, um inquérito para apurar se ocorreu favorecimento ilegal em repasses de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), ligado ao Ministério da Educação.

A CGU encaminhou à PF o resultado de uma sindicância interna que apontou supostas fraudes na distribuição de verbas. Eventuais provas levantadas pela Polícia Federal poderão embasar a abertura de uma ação judicial.

A atual crise na pasta foi deflagrada após o jornal Folha de S. Paulo divulgar um áudio no qual o ministro Milton Ribeiro, em reunião com prefeitos, afirma repassar recursos a municípios apontados por pastores. Na gravação, o titular do MEC diz também atender o pleito dos líderes religiosos a pedido do presidente Jair Bolsonaro.

Anteriormente, o jornal O Estado de S. Paulo já havia apontado a existência de um "gabinete paralelo" de pastores que controlaria verbas e a agenda do ministério.

Após a repercussão, o ministro negou a existência de irregularidades e refutou que Bolsonaro tenha feito o pedido.

Publicações relacionadas