Veículo de juiz que mandou prender Milton Ribeiro é atacado

Apoiadores do ex-ministro da Educação jogaram fragmentos de terra, ovos e fezes de animais enquanto juiz dirigia

Publicado quinta-feira, 07 de julho de 2022 às 21:36 h | Atualizado em 07/07/2022, 21:36 | Autor: Da Redação
O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) foi acionado para apurar as ameaças e recomendou providências para proteção do juiz
O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) foi acionado para apurar as ameaças e recomendou providências para proteção do juiz -

O carro do juiz federal Renato Borelli, autor do mandado de prisão contra o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, foi atacado, na tarde desta quinta-feira, 7, em Brasília, com fragmentos de terra, ovos e fezes de animais sendo jogados sobre a parte da frente do veículo.

O juiz não ficou ferido, mas teve a visão prejudicada no momento do ataque porque parte do vidro dianteiro ficou manchado. Mas mesmo assim conseguiu controlar o veículo. O magistrado disse no fim de junho estar sofrendo ameaças de grupos de apoio a Ribeiro.

Renato Borelli autorizou a operação da Polícia Federal que no dia 22 de junho prendeu o ex-ministro da Educação e os pastores Arilton Moura e Gilmar Santos, suspeitos de cobrar propina para liberação de verbas públicas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, mesmo sem cargos no ministério.

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) foi acionado para apurar as ameaças e recomendou providências para proteção do juiz.

"O Comitê Gestor do Sistema Nacional de Segurança do Poder Judiciário aprovou parecer do Departamento de Segurança Institucional, vinculado ao Conselho Nacional de Justiça, recomendando medidas de segurança que o Tribunal Regional Federal da 1ª Região pode tomar em favor do juiz. O ofício do Comitê foi enviado ao TRF1 nesta quinta (7/7). Não é possível detalhar, neste momento, as ações de segurança a serem adotadas para preservar a segurança do magistrado", informou em nota o CNJ.

Publicações relacionadas