adblock ativo

Com 354 votos, jornaleiro assume como deputado em AL

Publicado terça-feira, 28 de outubro de 2008 às 17:38 h | Atualizado em 28/10/2008, 17:38 | Autor: Agencia Estado
adblock ativo

O dono de banca de jornal Hildon Fidélis da Silva, conhecido como Castelo, é o mais novo deputado estadual de Alagoas. Apesar de ter conquistado apenas 354 votos nas eleições de 2006, Castelo (PTB) assumiu hoje o mandato, na condição de primeiro suplente. Ele substitui o deputado estadual Marcos Ferreira (PMN), afastado do mandato por decisão da Justiça. Ferreira é um dos 12 deputados estaduais alagoanos afastados do mandato depois de indiciados pela Polícia Federal, na Operação Taturana. Os parlamentares responde a processo pelo desvio de mais de R$ 280 milhões dos cofres da Assembléia Legislativa de Alagoas.

Castelo só tomou posse graças ao despacho do desembargador Pedro Augusto Mendonça, que reconheceu o direito do suplente assumir a vaga do deputado Marcos Ferreira e deu prazo de 24 horas para o presidente da Assembléia, deputado Fernando Toledo (PSDB), empossar o suplente. Com a decisão de Mendonça, Castelo passa a ser o sexto suplente a assumir vaga no Legislativo alagoano, após a Operação Taturana. A pedido do Ministério Público Estadual, a Justiça já afastou 12 deputados estaduais, entre eles o ex-presidente da Assembléia Antônio Albuquerque (sem partido). Pelo menos mais seis deputados indiciados pela estão para ser afastados.

Em seu discurso, no plenário da Assembléia, o deputado Castelo destacou sua origem humilde, mas ressaltou sua conduta ilibada, seu compromisso com a ética e responsabilidade social. Disse que seus votos foram poucos, mas todos foram conquistados com extrema honestidade. Agradeceu a família, ao pároco da Igreja do Divino Espírito Santo, no bairro da Jatiúca, onde tem sua banca de revista, e disse que vai trabalhar para combater o analfabetismo e ajudar o governo nas ações sociais.

"Estou aqui para representar a minha comunidade, lutar contra as injustiças sociais e ajudar o governo no combate ao analfabetismo e à pobreza", disse Castelo, em seu discurso de posse, na sessão desta tarde, na Assembléia. "Alagoas precisa recuperar sua credibilidade, não pode continuar sendo notícia nacional por causa de um foragido da Justiça, que é fruto da impunidade", afirmou Castelo, referindo-se ao pai da adolescente Eloá Cristina Pimentel - que ficou refém do ex-namorado por mais de 100 horas em um apartamento no ABC paulista e foi morta com um tiro na cabeça - Everaldo Pereira dos Santos, que é acusado de assassinato e está foragido da Justiça alagoana.

adblock ativo

Publicações relacionadas