Cotado a vice de Lula, Alckmin anuncia filiação ao PSB

Ato de filiação do ex-governador de São Paulo deve acontecer na próxima quarta-feira, em Brasília

Publicado sexta-feira, 18 de março de 2022 às 11:47 h | Atualizado em 18/03/2022, 12:30 | Autor: Da Redação
Alckmin foi governador de São Paulo entre 2001 e 2006 e entre 2011 e 2018
Alckmin foi governador de São Paulo entre 2001 e 2006 e entre 2011 e 2018 -

O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin anunciou hoje que irá se filiar ao PSB. Ele deve assinar sua ficha de filiação ao PSB na próxima quarta-feira (23), em Brasília, em um evento que está sendo formatado para apresentá-lo como um político progressista. Alckmin é cotado para ser o vice de Lula (PT) nas eleições presidenciais de 2022. 

No anúncio da filiação nas suas redes sociais, Alckmin citou uma frase de Eduardo Campos, ex-presidente do PSB, que morreu em 2014, em um acidente de avião: "Não vamos desistir do Brasil".

"O momento exige grandeza política, espírito público e união. A política precisa enxergar as pessoas. Não vamos deixar ninguém para trás. Nosso trabalho para ajudar a construir um país mais justo e pronto para o enfrentamento dos desafios que estão postos está só começando", publicou Alckmin. 

Na sua filiação, na próxima quarta, Alckmin também levará outras lideranças ao PSB, entre eles, o presidente da Aliança Nacional LGBTQIA+, Toni Reis; o vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão, que deixou o PSDB; o advogado e influencer Augusto de Arruda Botelho; e o senador Dario Berger (SC), que deixou o MDB; além do núcleo de aliados mais próximos do ex-governador paulista. 

Alckmin anunciou sua saída do PSDB, partido que foi um dos fundadores e onde estava havia 33 anos no dia 15 de dezembro do ano passado. 

Publicações relacionadas