adblock ativo

CPI aprova novas convocações e quebra de sigilos de disseminadores de fake news

Publicado quinta-feira, 19 de agosto de 2021 às 11:53 h | Atualizado em 19/08/2021, 11:56 | Autor: Agência Senado e Redação
O relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL) | Foto: Pedro França | Agência Senado
O relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL) | Foto: Pedro França | Agência Senado -
adblock ativo

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia aprovou em bloco 161 dos 187 requerimentos que estavam na pauta desta quinta-feira (19). Eduardo Girão (Podemos-CE) apresentou um pedido para votação em separado dos 26 requerimentos restantes, que tratam da quebra de sigilo fiscal e financeiro de responsáveis por sites que teriam disseminado fake news durante a pandemia. Os destaques também foram aprovados logo em seguida.

Serão pedidos para a quebra de sigilo fiscal e financeiro de responsáveis por sites que teriam disseminado fake news durante a pandemia. Estão na lista sites como o Instituto Força Brasil, Renova Mídia, Terça Livre, Jornal da Cidade Online, Conexão Política, Crítica Nacional, Senso Incomum, além de uma série de perfis em redes sociais. Foram seis votos favoráveis aos requerimentos e quatro contra. Ao todo, a CPI aprovou 187 requerimentos nesta terça.

É longa a lista de pedidos de convocação e de quebra de sigilos de pessoas e instituições, entre elas, da FIB Bank, que teria dado a garantia para o contrato entre a Precisa Medicamentos e o Ministério da Saúde na negociação de vacinas Covaxin. Também foram aprovados requerimentos para ouvir Marconi Farias, que teria tentado vender testes de covid-19 para o Ministério, e para convidar o ministro da Defesa, Walter Braga Netto, que foi ministro-chefe da Casa Civil até o início do ano.

adblock ativo

Publicações relacionadas