Delegado da PF que comandou operação contra Ricardo Salles é novamente removido de cargo

Publicado terça-feira, 22 de junho de 2021 às 17:23 h | Atualizado em 22/06/2021, 17:24 | Autor: Da Redação

O delegado responsável por conduzir a operação contra o ministro do Meio Ambiente, Franco Perazzoni, foi retirado da chefia da Delegacia de Repressão a Corrupção e Crimes Financeiros da Polícia Federal. A exoneração foi publicada nesta segunda-feira (21) no Diário Oficial da União.

A Operação Akuanduba, autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, cumpriu mandados de busca e apreensão contra o ministro do governo Bolsonaro e outros 21 investigados, incluindo outros servidores da pasta, dirigentes do Ibama e madeireiros.

As investigações iniciais apontam que Salles atuou para afrouxar o controle do Ibama sobre a fiscalização da extração e exportação de madeira. Ele teria se reunido com um grupo de madeireiros no Pará, que vinha tendo perdas seguidas com cargas irregulares que eram retidas.

Esta não é a primeira vez que Perazzoni é removido de um cargo de liderança. Em abril, assim que enviou ao STF uma notícia-crime contra o ministro do Meio Ambiente, justamente por ter intercedido a favor de madereiros alvos de operação contra desmatamento ilegal, ele foi retirado da superintendência da PF.

Perazzoni, segundo informações do UOL, é especialista em direito ambiental, doutorando em sustentabilidade social e desenvolvimento de livros e artigos nas áreas de crimes ambientais, polícia judiciária e investigação criminal.

Publicações relacionadas