Dissertação de ministro da Educação tem trechos idênticos a trabalhos anteriores

Publicado sábado, 27 de junho de 2020 às 16:00 h | Atualizado em 27/06/2020, 16:02 | Autor: Da redação

A dissertação de mestrado em gestão empresarial do novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli da Silva, tem trechos que repetem trabalhos publicados anteriormente por outros autores. Há mudanças sutis. As obras originais são citadas na bibliografia no final do trabalho.

Mas as regras acadêmicas exigem também que trechos extraídos de outros textos sejam citados entre aspas e com indicação da origem no próprio local em que é citado, o que Decotelli não fez.

O primeiro a apontar os possíveis indícios de plágio foi professor Thomas Conti, do Insper, em seu Twitter. Conti verificou que existem longos trechos idênticos na dissertação de mestrado de Decotelli na FGV com um relatório do Banrisul para a Comissão de Valores Imobiliários (CVM).

“Para quem não tem familiaridade com o mundo acadêmico, embora a dissertação dele seja sobre a governança corporativa do Banrisul, não se copia e cola trechos escritos por outra pessoa sem deixar claro que é uma citação e de onde vem a citação. Ainda mais em trechos longos assim”, afirmou Conti à reportagem do jornal Estado de S. Paulo.

O site de notícias Poder360 procurou a assessoria de imprensa do ministro e perguntou se ele gostaria de se manifestar sobre o assunto. Não houve resposta.

O trabalho é “Banrisul: do Proes ao IPO com governança corporativa” apresentado em 2008 na Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, da FGV (Fundação Getulio Vargas) do Rio de Janeiro.

Publicações relacionadas