Alckmin se filia ao PSB e elogia Lula: "Representa a democracia"

Chapa com Lula e Alckmin deve ser anunciada em abril

Publicado quarta-feira, 23 de março de 2022 às 14:00 h | Atualizado em 23/03/2022, 14:39 | Autor: Da Redação
O ex-tucano falou em seu primeiro discurso como membro do PSB
O ex-tucano falou em seu primeiro discurso como membro do PSB -

O ex-governador de São Paulo, Geraldo Ackmin, assinou nesta quarta-feira, 23, a sua filiação ao PSB após mais de três décadas no PSDB. A chegada ao novo partida chega em um momento em que ele deve se juntar ao ex-presidente Lula, como vice na chapa para as eleições presidenciais deste ano. Em seu discurso durante o ato, ele fez acenos e elogios ao petista.

O ex-tucano falou em seu primeiro discurso como membro do PSB que defendeu apoio do partido à candidatura de Lula. "Temos que ter a humildade para entender que ele é, hoje, aquele que melhor reflete o sentimento de esperança do povo brasileiro. Aliás, ele representa a própria democracia", disse Alckmin.

No início do seu discurso, ele também citou integrantes do PT especificamente. "Saúdo a presidente [do PT] deputada Gleisi Hoffmann, abraçando todos os deputados, senadores e lideranças do PT", disse.

Apesar da filiação, o acordo de Alckmin para ser vice de Lula ainda não está concretizado por falta de definições entre o PT e o PSB em entraves estaduais. O principal deles em São Paulo, já que tanto Fernando Haddad (PT) quanto Márcio França (PSB) pretendem disputar o governo do estado. Há ainda imbróglios no Rio Grande do Sul, Espírito Santo e Paraíba.

No ato de filiação de Alckmin, estiveram presentes os governadores Paulo Câmara (PE) e Flávio Dino (MA), o ex-governador Rodrigo Rollemberg (DF), O prefeito de Recife, João Campos e deputados, todos do PSB. 

Do PT estiveram a presidente, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), e os senadores Rogério Carvalho (PE) e Paulo Rocha (RN). O ex-presidente Lula decidiu não comparecer, mas de acordo com Gleisi, enviouum "abraço afetuoso" a todos que estavam presentes.

O evento também contou com outras 40 filiações ao PSB, entre eles o vice-governador do Maranhão Carlos Brandão (ex-PSDB), o senador Dario Berger (MDB), que concorre ao Governo de Santa Catarina, o advogado criminalista Augusto de Arruda Botelho, Carmen Silva, líder do Movimento Sem-Teto do centro de São Paulo, e Toni Reis, presidente da da Aliança Nacional LGBTI+.

Publicações relacionadas