Candidatos à prefeitura de Salvador participam do primeiro debate na TV

Publicado quinta-feira, 01 de outubro de 2020 às 12:38 h | Atualizado em 01/10/2020, 13:25 | Autor: Da Redação

Obedecendo a um rígido protocolo de higiene e biossegurança, sete candidatos à prefeitura de Salvador participam, nesta quinta, 01, a partir das 22h30, do primeiro debate entre os candidatos à prefeitura de Salvador nas Eleições 2020. Com mediação da jornalista Carolina Rosa, o debate realizado pela BandBahia, vai ser dividido em cinco blocos, incluindo espaços para falas individuais dos candidatos e trocas de perguntas. Vão participar: Major Denice (PT), Olívia Santana (PCdoB), Celsinho Cotrim (PROS), Bacelar (Podemos), Bruno Reis (DEM), Pastor Sargento Isidório (Avante), e Hilton Coelho (PSOL).

Como mandam os protocolos dos órgãos públicos não vai haver presença da imprensa no debate deste ano, já que o objetivo é também evitar aglomeração. Os cuidados visam garantir a biossegurança dos candidatos, bem como dos assessores e de toda a equipe da emissora.

“É muito importante que, mesmo neste momento de pandemia, não deixemos de promover o debate entre os candidatos para colaborar nas escolhas dos eleitores para a gestão municipal, e Band mantém a tradição e pioneirismo neste aspecto. No entanto, isso precisa ser feito com toda a segurança, e, ao mesmo tempo, sem que o acesso às informações pela imprensa seja prejudicado. Para garantir isso, vamos contar com uma equipe de uma empresa especializada e experiente como a ATcom, para garantir à sociedade que todas as informações sejam disseminadas de forma adequada”, afirma a diretora de jornalismo da Band Bahia, Zuleica Andrade.

Funcionamento e regras

No primeiro bloco vão ser exibidos vídeos curtos de apresentação dos candidatos, com duração de 30 segundos para cada. Na sequência, vai ser formulada uma pergunta pelo jornalismo da emissora para que todos os candidatos respondam, em um tempo de resposta estipulado em 1min30s para cada um, por ordem determinada em sorteio prévio (Major Denice, Pastor Isidório, Hilton Coelho, Bruno Reis, Olívia Santana, Celsinho Cotrim e Bacelar).

No segundo bloco, os candidatos poderão fazer uma pergunta e escolher quem vai responder, tendo 30 segundos para formular a pergunta e 1min30s para a resposta, mais 1 minuto para a réplica o mesmo tempo para tréplica. A ordem, definida em sorteio prévio, será: Bacelar, Major Denice, Olívia Santana, Hilton Coelho, Celsinho Cotrim, Pastor Sargento Isidório e Bruno Reis. No terceiro bloco do debate, cada candidato vai escolher quem vai perguntar a ele, sendo que cada um só poderá perguntar e responder uma vez. Os tempos para perguntas, respostas, réplicas e tréplicas se mantém iguais aos do segundo bloco.

No quarto bloco, vai ser feita, conforme sorteio prévio, uma troca de perguntas e respostas entre os candidatos, sendo que cada um irá perguntar e responder uma vez, mantendo os tempos já determinados nos blocos anteriores. Neste bloco, Olívia Santana vai perguntar para Major Denice; Bruno Reis para Hilton Coelho; Major Denice para Olívia Santana; Pastor Sargento Isidório para Celsinho Cotrim, este pergunta para Bacelar que questiona Bruno Reis, e por fim, Hilton Coelho para Pastor Isidório.

No quinto bloco, cada candidato terá 1 minuto para as considerações finais, na ordem inversa a da apresentação inicial: Hilton Coelho, Pastor Sargento Isidório, Bruno Reis, Bacelar, Celsinho Cotrim, Olívia Santana, Major Denice. O candidato que se sentir ofendido poderá solicitar direito de resposta por meio do seu assessor. O pedido deve ser analisado por uma comissão jurídica composta por advogados da emissora e da OAB/BA. O direito de resposta só será concedido quando houver ofensa pessoal e será irrecorrível. Se concedido será dado no início do bloco seguinte, com tempo de 1 minuto.

Os candidatos se vão estar acomodados em cadeiras ao redor do cenário obedecendo o distanciamento necessário entre eles, deslocando-se ao púlpito para o confronto de perguntas e respostas. Os assessores (limitado em dois por candidato) não vão ter acesso ao estúdio. Toda a comunicação entre o candidato e o assessor vai ter que ser feita por aplicativo de mensagem. Foi recomendado aos coordenadores das campanhas para que orientem as equipes e cabos eleitorais a não permanecerem na porta da emissora.

Publicações relacionadas