Comandante da FAB diz que Força Aérea respeitará eleição

Brigadeiro Baptista Júnior afirma que a FAB cumprirá a lei independente de quem for eleito para o Planalto

Publicado segunda-feira, 23 de maio de 2022 às 17:53 h | Atualizado em 23/05/2022, 18:22 | Autor: Da Redação
O brigadeiro deu as declarações em um café com jornalistas nesta segunda-feira, 23
O brigadeiro deu as declarações em um café com jornalistas nesta segunda-feira, 23 -

O comandante da Aeronáutica, brigadeiro Baptista Júnior, afirmou, nesta segunda-feira, 23, que a Força Aérea Brasileira (FAB) é legalista e cumprirá a lei, caso o presidente Jair Bolsonaro não seja reeleito nas eleições em outubro. As pesquisas apontam o candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva à frente na corrida eleitoral. De acordo com ele, a Força atuará para que o pleito ocorra "sem confusão", "em clima de tranquilidade".

“A Força Aérea é legalista, vai cumprir as leis”, disse o brigadeiro, ao ser indagado por jornalistas sobre qual seria o papel da FAB se o resultado das urnas não confirmar a reeleição de Bolsonaro.

Baptista Júnior explicou que haverá uma força tarefa das três Forças (Aeronáutica, Marinha e Exército), coordenada pelo Ministério da Defesa, para ajudar na logística da votação, como transporte de urnas e assegurar que a votação ocorra em clima de tranquilidade.

O comandante da FAB lembrou que as Forças comandam a operação "Garantia da Votação e da Apuração" em todas as eleições, para garantir que "não vai ter confusão, que tudo vai ser feito em clima de tranquilidade".

"Eu sempre falo que o voto de quem está em Santa Rosa do Purus, no Acre, de quem está em Barcelos [no Amazonas] é caro, mas é o preço que a gente tem que pagar pela participação democrática de todos os cidadãos que têm o direito de votar", afirmou. "Fazemos com eficiência e confiança no resultado o transporte de todas as urnas", acrescentou.

O brigadeiro deu as declarações em um café com jornalistas para explicar o andamento dos projetos de aparelhamento da Força Aérea. Ele antecipou que ainda neste mês, a Força lançará no exterior dois satélites radares, que poderão ser utilizados no monitoramento de queimadas e desmatamento, além de garimpos, com alta precisão.

Publicações relacionadas