Wagner diz que ACM Neto ficou nervoso com pesquisa AtlasIntel

Diferença de apenas sete pontos percentuais para Jerônimo teria irritado o ex-prefeito de Salvador

Publicado quarta-feira, 20 de julho de 2022 às 09:56 h | Atualizado em 20/07/2022, 12:21 | Autor: Da Redação
Para senador Jaques Wagner (PT), Jerônimo Rodrigues vai continuar subindo nas pesquisas de intenção de voto
Para senador Jaques Wagner (PT), Jerônimo Rodrigues vai continuar subindo nas pesquisas de intenção de voto -

O senador Jaques Wagner (PT) acredita que o pré-candidato do União Brasil ao governo da Bahia, ACM Neto, ficou irritado com a divulgação da pesquisa AtlasIntel, no domingo, 17, contratada pelo Grupo A TARDE, por não aceitar o resultado da amostragem, que revela uma diferença de apenas sete pontos percentuais entre ele e Jerônimo Rodrigues (PT).

“O ex-prefeito foi para a Justiça porque ficou nervoso com o resultado, que aponta o que não é o que ele acha. Fica achando que já ganhou, e ninguém ganha eleição de véspera, nem nós, muito menos eles”, disse durante entrevista ao programa Isso é Bahia, da rádio A TARDE FM, nesta quarta-feira, 20.

Wagner chamou a pesquisa AtlasIntel de “verdadeira” e  disse que a diferença entre os dois pré-candidatos mais bem colocados é quase a mesma apontada por outros institutos. O senador destacou que a identificação dos partidos no questionário impulsiona o crescimento de Jerônimo.

“Já há uma associação muito forte entre PT e Lula. Então, quando disseram [na pesquisa] ‘Jerônimo Rodrigues, do PT’, as pessoas disseram: ‘então é candidato de Rui e Lula’ e ai ele sobre para 32 ou 33% e o ex-prefeito vai para 40”.

Ameaças de Bolsonaro

Durante a entrevista, Wagner ainda comentou que não vê possibilidade de os ataques do presidente Bolsonaro contra o processo eleitoral provocarem uma ruptura democrática. “Ele é igual siri na lata, gosta de fazer barulho”.

O senador afirmou que o discurso bélico de Bolsonaro é uma estratégia. “Ele é um cara da violência. Ele tenta montar um guerra a cada dia. Nós não vamos entrar nessa, digo nós, os partidos, as instituições, a imprensa e nem o povo. Vamos responder a gritaria dele com a paz, a civilidade e a democracia”, explicou.

Wagner classificou ainda como “deprimente” o fato de Bolsonaro ter novamente desacreditado as urnas eletrônica para um grupo de 40 embaixadores, em reunião na segunda-feira, 18.  

“Ele vai tentar fazer isso de manhã, de tarde e de noite. Mas é grito de desesperado, a rejeição é muito alta”.

Publicações relacionadas