YouTube anuncia remoção de vídeos com fake news sobre eleições

Medida já foi adotada após as eleições dos Estados Unidos, em 2020, e da Alemanha, em 2021

Publicado terça-feira, 22 de março de 2022 às 15:41 h | Atualizado em 22/03/2022, 15:44 | Autor: Da Redação
Serão excluídos vídeos com informações falsas sobre fraude generalizada
Serão excluídos vídeos com informações falsas sobre fraude generalizada -

O YouTube informou nesta terça-feira, 22, a exclusão de vídeos com informações falsas sobre as eleições brasileiras de 2018, em uma atualização de sua política de combate às fake news. 

De acordo com a plataforma, serão removidos vídeos com "informações falsas sobre fraude generalizada, erros ou problemas técnicos que supostamente tenham alterado o resultado de eleições anteriores, após os resultados já terem sido oficialmente confirmados".

A medida já foi adotada para material publicado após as eleições dos Estados Unidos, em 2020, e da Alemanha, em 2021. "Agora, ela será aplicada às eleições presidenciais brasileiras de 2018", anunciou a empresa.

O YouTube também proíbe vídeos com o objetivo de enganar eleitores sobre a hora, o local, os meios ou requisitos necessários para votar, além daqueles com informações que possam fazer as pessoas desistirem de votar. "Isso inclui alegações falsas de que as urnas eletrônicas brasileiras foram hackeadas na eleição presidencial de 2018 e de que os votos foram adulterados", afirma a plataforma.

As regras do YouTube impedem ainda vídeos com informações falsas sobre inelegibilidade de candidatos ou que incitem o público a impedir ou atrapalhar quem tenta votar.

Frequentemente, o presidente Jair Bolsonaro afirma, sem apresentar provas, que houve fraude no pleito de 2018. Ele foi incluído como investigado no inquérito das fake news, após pedido feito por unanimidade pelos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A apuração levará em conta os ataques às urnas eletrônicas e ao sistema eleitoral brasileiro.

Publicações relacionadas