Justiça Federal absolve Lula de suspeita de favorecer montadoras

Publicado segunda-feira, 21 de junho de 2021 às 15:57 h | Atualizado em 21/06/2021, 16:00 | Autor: Da Redação

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), seu ex-chefe de gabinete Gilberto Carvalho, e outras cinco pessoas acusadas pelo Ministério Público Federal de favorecer montadoras foram absolvidas nesta segunda-feira, 21, pela Justiça Federal. 

A acusação era de que Lula teria editado uma medida provisória para favorecer empresas do setor automotivo em troca de recebimento de propina. De acordo com o Ministério Público, R$ 6 milhões teriam sido prometidos pelos empresários para financiar campanhas do PT.

A denúncia do MP foi aceita em 2017 e, desde então, os sete acusados eram réus no processo – os políticos, por corrupção passiva, e os empresários, por corrupção ativa.

Segundo decisão do juiz Frederico Botelho de Barros Viana, a investigação não “demonstrou de maneira convincente” como Lula e Carvalho “teriam participado no contexto supostamente criminoso”. Os réus ligados às montadoras Caoa e MMC também foram absolvidos. 

Segundo os procuradores, o texto tramitou com “celeridade e procedimento atípicos” e que ele foi levado a conhecimento de representantes das empresas interessadas para ajustes antes da publicação no Diário Oficial. Durante o processo, porém, o MPF requereu a absolvição dos réus.

"É segura, portanto, a conclusão de que que a acusação carece de elementos, ainda que indiciários, que possam fundamentar, além de qualquer dúvida razoável, eventual juízo condenatório em desfavor dos réus", escreveu o juiz Frederico Botelho de Barros Viana, da 10ª Vara Federal do DF.

Publicações relacionadas