Lira rejeita possibilidade de 3ª via para 2022 e diz não haver 'circunstância' para impeachment

Publicado terça-feira, 22 de junho de 2021 às 10:49 h | Atualizado em 22/06/2021, 10:55 | Autor: Redação

O presidente da Câmara, eleito com o apoio do Palácio do Planalto, Arthur Lira (PP-AL) afirmou não ver existência de espaço para o surgimento de uma terceira via nas eleições de 2022. De acordo com o parlamentar, a disputa já está decidida entre o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) e o ex-presidente Lula (PT), a quem definiu como um "player importante" no jogo eleitoral.

"Lula é um player importante. Presidente duas vezes. O que eu não acredito é em terceira via. Não tem condição. No Brasil, nunca houve isso. Ao menos depois da volta do voto para presidente. Foi Collor e Lula, depois anos de Lula contra o PSDB e a Dilma também. E, em 2018, o Bolsonaro substitui o PSDB na disputa com o PT. O PT está sempre lá. Por que não estaria nessa?", questionou.

Questionado sobre o motivo de não ter pautado nenhum das dezenas de pedidos de impeachment contra o presidente Bolsonaro, Lira afirmou que apesar da triste marca de 500 mil vítimas de Covid-19 no país, não há "circunstância" para a pauta já que Bolsonaro ainda tem apoio sólido no Congresso.

"Não sou eu que faço o impeachment. Você quer dizer que o presidente Bolsonaro não tem voto na Câmara para segurar um pedido de impeachment? Que ele não tem base de apoio popular para se contrapor a um pedido de impeachment? Então, o que é que estão querendo? Que eu desorganize o país, que eu comece uma conflagração de 122 votos que querem contra 347 que não querem? Vocês querem testar? O que a população quer é testar? Acha que é o caminho? Vamos testar. O que eu estou dizendo é que o impeachment é feito com circunstâncias, com uma política fiscal desorganizada, uma política econômica troncha. O impeachment é político", ponderou.

Publicações relacionadas