adblock ativo

Petrobras anuncia renúncia de Graça Foster e cinco diretores

Publicado quarta-feira, 04 de fevereiro de 2015 às 10:10 h | Atualizado em 04/02/2015, 13:11 | Autor: Da Redação
Gracas Foster - Petrobras
Gracas Foster - Petrobras -
adblock ativo

A presidente da Petrobras Graça Foster e outros cinco diretores renunciaram ao cargos, de acordo com comunicado da estatal divulgado nesta quarta-feira, 4. Os novos executivos serão eleitos pelo Conselho de Administração em reunião agendada para a próxima sexta-feira, 6.

A renúncia foi feita após a presidente Dilma Rousseff ter acertado a saída de Graça Foster e de toda diretoria da estatal a partir de março. O acordo com a petista previa que a presidente da Petrobras iria se dedicar nos próximos dias a preparar um balanço financeiro da estatal em 2014, mas a renúncia de Foster antecipa sua saída.

Desde o surgimentos dos escândalos de corrupção envolvendo a Petrobras que Dilma é pressionada a afastar Foster, mas ela se negava a abrir mão de Graça Foster, que era considerada uma indicação da cota pessoal da presidente. Contudo, a divulgação de que a Petrobras teve uma perda estimada de R$ 88 bilhões foi a gota d'água para a saída de Foster.

Os rumores da mudança na Petrobras fez as ações da estatal dispararem nesta terça, com alta de mais de 15% na Bovespa. Agora o governo busca um nome para substituir Graça Foster.

Substitutos

Blogs especializados em política dizem que o Planalto foi surpreendido com o pedido de Foster, que pode ter sido antecipado por conta do vazamento da notícia de que ela deixaria a Petrobras. Fala-se também que o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, tenta influenciar a escolha do sucessor da Foster.

Mas o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva também quer participar da transição. Ele tem preferência pelo ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. Contudo, Dilma e Mercadante tinham resistências, no passado, à política monetária adotada por Meirelles.

Outro nome ventilado foi de Roger Agnelli, que é amigo de Lula, mas que não tem a simpatia da presidente. Ele, que comandou a Vale por mais de dez anos, foi demitido por ela no início de 2011.

Outra opção é Rodolfo Landim, ex-parceiro de Eike Batista e que já passou pela Eletrobrás e BR Distribuidora. Ele é conhecido e respeitado no mercado internacional de óleo e gás. Landim foi funcionário da Petrobras até 2006, quando saiu para trabalhar com Eike.

adblock ativo

Publicações relacionadas