adblock ativo

Serra destaca suas iniciativas em moradia popular

Publicado terça-feira, 31 de agosto de 2010 às 21:51 h | Atualizado em 31/08/2010, 21:51 | Autor: Agência Estado
adblock ativo

A inserção do PSDB enumerou uma série de iniciativas do candidato José Serra nas áreas de moradia popular, principalmente para as famílias cuja renda não ultrapassa três salários mínimos. O candidato defendeu que a gestão do PSDB no comando do Palácio dos Bandeirantes fez bastante pelas favelas de Heliópolis e Paraisópolis, diferentemente da União. "O governo federal tem muito dinheiro, mas nem sempre gasta bem", afirmou Serra, segundo o qual os programas federais fizeram pouco na questão de moradia para essa faixa de renda.

A inserção do PSDB criticou a aparição de moradores da favela de Heliópolis no programa eleitoral da adversária. "A Dilma nunca veio aqui, só apareceu agora, na véspera da eleição, para dizer que fez", disse uma moradora da comunidade. No final da propaganda, uma tarja vermelha estampada na tela serviu de crítica à atuação do governo federal na área da saúde: "Com Dilma, saúde não funciona."

Já propaganda de Marina Silva, do PV, subiu o tom contra os adversários. A candidata acusou Serra e Dilma de fazerem chantagem emocional nas propagandas eleitorais, criando o que chamou de um Brasil irreal. De acordo com Marina, os adversários mostram um mundo "azul" e "cor-de-rosa", e não a realidade como ela é. "No Brasil real tem fila em hospital", ressaltou. A candidata voltou a defender um segundo turno na disputa presidencial.

Os candidatos nanicos apresentaram temas variados, repetindo as inserções do início da tarde. Zé Maria, do PSTU, criticou o projeto de reforma agrária do governo Lula e disse que está ao lado do MST. José Maria Eymael, do PSDC, falou da geração de emprego e na instauração de um novo modelo tributário. Levy Fidelix, do PRTB, criticou as pesquisas eleitorais, grande imprensa e a política econômica. Ivan Pinheiro, do PCB, pregou uma reforma agrária radical. Plínio de Arruda Sampaio, do PSOL, defendeu mais uma vez a mudança da atual estrutura social. E Rui Costa Pimenta, do PCO, falou que nas gestões FHC a Lula nada foi feito para valorizar o trabalhador da área petroleira.

adblock ativo

Publicações relacionadas